Última tentativa

Alves ainda tenta votar minirreforma eleitoral para 2014

Texto prevê doações de concessionárias de serviços públicos para partidos

acessibilidade:

Apesar de o coordenador do Grupo de Trabalho que analisa a matéria, deputado Cândido Vaccarezza (PT), ter dito hoje que a “minirreforma morreu”, o presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), tentará um último esforço para salvar a proposta: ele irá se reunir com os líderes dos partidos na próxima segunda-feira (1º) para tentar convencê-los de votar a proposta da minirreforma após a votação de três projetos, todos com urgência constitucional, que estão trancando a pauta.

O Projeto de Lei da minirreforma eleitoral, aprovado pelo Senado, permite que concessionárias de serviços públicos repassem dinheiro a candidatos e partidos, indiretamente, por meio de outras empresas. O PL ainda limita a contratação de cabos eleitorais de acordo com o número de eleitores do município e responsabiliza pela propaganda de boca de urna a pessoa que fez e não mais o candidato beneficiado.

Quatro partidos já se manifestaram contrários à votação do texto: PT, PSB, PCdoB e Psol. Para ter validade nas próximas eleições, a minirreforma eleitoral precisa ser sancionada pela presidente Dilma Rousseff até o dia 5 de outubro.