CGU investiga

Palestra de chefe de fiscalização da ANTT levanta suspeitas

Chefe dee fiscalização falará na Abrati, cujo presidente é dono de empresa que ele é acusado de favorecer

acessibilidade:
Felipe Freitas, superintendente de fiscalização da ANTT - Foto: ANTT.

Caiu na boca de servidores da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) um workshop promovido pela Associação Brasileira das Empresas de Transporte Terrestre de Passageiros (Abrati), na quarta (26), presidida por Paulo Alencar Porto Lima. Um dos palestrantes é Felipe Freitas, superintendente de fiscalização da ANTT, que irá falar sobre a atuação dos fiscais. Acontece que Freitas foi denunciado na CGU por suposto favorecimento a uma empresa associada a Abrati. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

A empresa supostamente favorecida é a Real Expresso, do grupo Guanabara, que tem Lima, da Abrati, como mandachuva.

A denúncia na CGU acusa Freitas de encomendar nota técnica para cancelar multas e diz que a empresa é protegida pela direção da ANTT.

À coluna, a ANTT diz que participa de eventos de forma recorrente e que acompanha denúncias contra servidores pela corregedoria ou pela CGU.