Aliados rejeitam PT como vice em chapas municipais

No Recife, um vice petista não acrescentaria votos ao candidato do PSB

acessibilidade:
Prefeito de Recife, João Campos (PSB), e Lula (Foto: Ricardo Stuckert)

O plano do PT de registrar candidaturas em todas as capitais, nas eleições deste, ano virou dor de cabeça para prefeitos que preferem não colar a imagem no partido de Lula. Em Recife (PE), João Campos (PSB) vive às turras com os petistas e deve oferecer a cadeira de vice ao PCdoB ou ao MDB, apesar da pressão da presidente do PT, Gleisi Hoffmann. Campos não confia nos petistas e tem como favorito Victor Marques Alves (PCdoB), ex-chefe de gabinete de antigo elo ao PSB. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

O grupo de João Campos avalia que não soma votos dar a vaga de vice a petista: eleitores de esquerda tendem a votar no prefeito socialista.

Eduardo Paes (PSD), prefeito do Rio, reduto eleitoral de Jair Bolsonaro, sabe que dobradinha com o PT não corre o risco de dar certo.

Em São Paulo, é o inverso. É o PT que reluta em assumir chapa com Guilherme Boulos (Psol). Há até apoio velado a Ricardo Nunes (MDB).