Mais Lidas

Otimismo

Otimista, Onyx aposta na reforma da Previdência e elogia autenticidade de Bolsonaro

Onyx prevê reforma aprovada logo

acessibilidade:
Onyx Lorenzoni foi entrevistado na Antártida pela Rádio Bandeirantes.

O ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, esteve na Antártica em visita oficial ao Programa Antártico Brasileiro, desde esta segunda (12). A viagem marcou o início das operações da nova estrutura de telecomunicação na Estação Antártica Comandante Ferraz.

Em entrevista ao jornalista Felipe Garrafa, da Rádio Bandeirantes de São Paulo, o ministro afirmou que a proposta da reforma da Previdência deve ser aprovada pelo Congresso ainda no primeiro semestre deste ano.

Lorenzoni acredita que até o fim de maio, a tramitação será concluída na Câmara dos Deputados, onde o projeto está atualmente. Já no Senado, o ministro disse que acredita ser possível uma aprovação antes do recesso parlamentar, em meados de julho. “Seria muito bom para o Brasil e, principalmente, para cada brasileiro e brasileira, para ter segurança no presente e certeza de ter um bom futuro.”

Segundo o ministro-chefe da Casa Civil, a questão da reforma da Previdência não é do governo, e sim do povo brasileiro em geral. “Da mesma maneira, para o Brasil, para nossa sociedade, para as famílias de todo o país, é fundamental que a gente possa aprovar a nova Previdência, porque ela vai dar o equilíbrio fiscal que o Brasil precisa. Vai garantir o pagamento das aposentadorias e das pensões para os atuais e a para os futuros que vão se aposentar”, afirmou.

Lorenzoni falou ainda sobre a criação do regime de capitalização e citou o exemplo de sucesso no Chile. “Nós estamos ao lado de uma base chilena e o Chile teve uma experiência muito importante, que financiou seu desenvolvimento, porque conseguiu na capitalização os recursos de poupança interna para financiar seu crescimento econômico. É isso que o Brasil precisa fazer”, declarou o ministro.

“O Congresso Nacional, com certeza, sabe que tem uma missão para cumprir e essa missão é verde e amarela; não tem cor partidária nem ideológica”, concluiu.

Declarações nas redes sociais

O ministro foi questionado ainda sobre as recentes postagens do presidente Jair Bolsonaro no Twitter que causaram certo mal estar nas redes sociais — entre elas a publicação de um vídeo classificado como conteúdo sensível por conter atos obcenos ligados, pelo presidente, a determinados eventos do carnaval brasileiro.

Segundo o ministro, o presidente continua tendo o mesmo jeito de ser, desde antes das eleições começarem, e que ninguém quer que uma pessoa deixe de ser o que é. “Eu prefiro um cara autêntico do que um cara dissimulado”, afirmou Lorenzoni ao ser questionado sobre seu papel para evitar a exposição de Bolsonaro nas redes sociais.

“Nós temos um presidente que é um cara autêntico, verdadeiro, simples e direto — como é o brasileiro. Foi assim na eleição, antes da eleição. Ele é o presidente do Brasil por isso. A maioria absoluta do país compreende o presidente; sabe que as manifestações dele sempre são na defesa de princípios e valores. Ele tem esse jeitão Bolsonaro de ser.”

Confira a entrevista:

 

Vídeos Relacionados