Mais Lidas

'O retrato está no mundo'

Bolsonaro agradece a apoiadores e critica pressa, após 40 anos de ‘lixo’

Presidente considerou trabalho excepcional de apoiadores e vê ganhos

acessibilidade:
Presidente Jair Bolsonaro. Foto: Reprodução/Foco do Brasil

Em seu primeiro encontro com apoiadores após as manifestações de 7 de Setembro, o presidente da República Jair Bolsonaro agradeceu hoje (10) pelo que avaliou como trabalho excepcional da multidão que foi às ruas defender suas ideias. O presidente pediu compreensão e criticou o imediatismo de alguns apoiadores que pediam intervenção militar e impeachment de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), ao lembrar que o Brasil convive com o “lixo, de 30 a 40 anos de problemas”.

O presidente ouviu a concordância dos apoiadores com quem conversou, que reagir com falas como: “Graças a Deus. Sabedoria de Deus”; “Não vai ser em uma semana que vai resolver (os problemas de 30 a 40 anos)”; “A gente ficou preocupado, porque a gente não teve resposta”; e “Estamos com o senhor, presidente”.

“O que aconteceu três da tarde de ontem, a bolsa foi lá para cima, e o dólar caiu quase… O que acontece? Cada um fala o que quiser. O cara não lê a nota e reclama. Lê a nota, bem curtinha, duas, três vezes. São dez pequenos itens. Entenda. A gente vai acertando. É o acúmulo de lixo, né? De problemas tem 30 a 40 anos. Não dá para… Está tendo… Tá ganhando, tá ganhando. Se o dólar dispara, influencia o combustível, o gás de cozinha. Foi excepcional o trabalho de vocês. O retrato está no mundo todo e aqui também em Brasília. Todo mundo viu o que está acontecendo. Alguns querem imediatismo. Você namorar e casar em uma semana, vai dar errado teu casamento”, declarou o presidente, diante dos apoiadores, ao se encaminhar para o Palácio do Planalto.

Recuo ou estratégia

A fala vem contexto das críticas que o presidente recebeu de aliados contra a nota de ontem (9), em que o presidente recuou das agressões ao STF, que disse terem sido feitas “no calor da emoção” e pediu conciliação com o ministro Alexandre de Moraes, a quem chamou de “canalha” e avisou que não mais cumpriria suas decisões judiciais.

No encontro com apoiadores, Bolsonaro sugeriu que fez um recuo estratégico dos ataques ao Judiciário, ao justificar os efeitos de suas falas sobre a economia e o preço dos combustíveis e gás de cozinha.

Veja o que disse Bolsonaro com seus apoiadores, no registro feito pelo Foco do Brasil, no Youtube:

Reportar Erro