Mais Lidas

Crise no ninho

Diretórios do PSDB de SP e RS formalizam pedido de expulsão de Aécio Neves

Documento deve começar a ser discutido nesta quarta-feira (21) pela Executiva do partido

acessibilidade:
O pedido de expulsão do ex-presidenciável tucano deve começar a ser discutido nesta quarta (21) pela Executiva do partido Foto: Lula Marques

Os diretórios estaduais do PSDB de São Paulo e do Rio Grande do Sul formalizaram pedido de expulsão do deputado Aécio Neves (MG) do partido.

Na quarta-feira (21), a executiva nacional do PSDB vai se reunir para avaliar admissibilidade dos pedidos de expulsão. O primeiro braço tucano a cobrar a saída de Aécio da sigla foi o diretório municipal de São Paulo em julho.

Se o pedido de expulsão for aceito, Aécio terá cerca de seis meses para se defender. O presidente do PSDB-SP, Marco Vinholi, defende que o rito seja encurtado.

O movimento para expulsar Aécio é parte do que o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), chamou de “faxina ética” no PSDB, que ano passado teve o pior desempenho eleitoral de sua história.

Nesta terça-feira, 20, Doria chegou a afirmar que Aécio deveria fazer sua defesa fora do partido.

“A meu ver, o deputado Aécio Neves tem todo o direito a formular a sua defesa, confiante na sua inocência, mas pode fazê-lo fora do PSDB”, afirmou após reunião com a bancada da Câmara, em Brasília.

O ex-senador por MG é investigado e diversas frentes e se tornou réu em 2018, sob acusação de corrupção passiva e obstrução de Justiça. Ele ainda não foi julgado, mas há pressão para que peça afastamento.

O presidente do PSDB, Bruno Araújo, afirmou que conduzirá o processo com imparcialidade.

“Há uma representação apresentada pela capital de São Paulo, ontem [segunda]. Amanhã [quarta] o partido vai analisar na sua Executiva a admissibilidade do processo.”

Aécio e seus aliados, como o mineiro Paulo Abi-Ackel, não compareceram à reunião com o governador.