Reunião do MDB lembrou velório, mas pôs o partido na oposição

acessibilidade:
Reunião da cúpula do MDB no escritório do ex-presidente Michel Temer, em São Paulo.

Reunião recente da cúpula do MDB, da qual participaram figuras como o ex-presidente Michel Temer e o atual presidente nacional do partido, deputado Baleia Rossi (SP), lembrou cena e clima de velório, mas era para posicionar o partido na oposição ao presidente Jair Bolsonaro, perante a crise política.

A senadora Simone Tebet (MT), que tem uma difícil reeleição pela frente, participou do encontro ao lado do ex-ministro Carlos Marun, que recentemente se desligou do conselho de administração de Itaipu Binacional, para onde foi designado por Bolsonaro a pedido de Temer.

Tanto Baleia quanto Tebet têm razões até pessoais para se posicionar contra o governo de Jair Bolsonaro.

Poço de mágoas

O deputado paulista Baleia Rossi, por exemplo, foi derrotado com votação constrangedora pelo adversário Arthur Lira (PP-AL), na disputa pela presidência da Câmara dos Deputados. Nem o apoio do então presidente Rodrigo Maia impediu sua impressionante derrota.

Já Simone Tebet ficou na expectativa do apoio de Bolsonaro na sua pretensão de disputar a presidência do Senado, mas o chefe do Executivo fez opção pelo senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG), a pedido do então presidente do Senado Davi Alcolumbre (DEM-AO).

Além das afinidades políticas com Pacheco, Bolsonaro não tinha interesse de ajudar na tentativa de reeleição de Simone Tebet, na medida em que a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, é sua candidata à vaga no Senado hoje ocupada pela senadora do MDB.