Mais Lidas

Nada suspeito

Anvisa dos EUA quer 55 anos para liberar documentos da vacina Pfizer

Um grupo de cientistas pediu acesso aos documentos que tratam da licença do imunizante Pfizer, mas a FDA (vigilância sanitária americana) deu prazo até 2076

acessibilidade:
Três ampolas de vacinas da Pfizer BioNTech contra a covid-19. Há gelo na superfície das ampolas
Vacinas da Pfizer BioNTech contra a covid-19. Foto: Myke Sena/MS

Um grupo de cientistas nos Estados Unidos entrou com um pedido na Food and Drug Administration, a agência federal de vigilância sanitária norte-americana, para ter acesso aos documentos relacionados à licença de uso da vacina Pfizer/BioNTech. O pedido foi feito através do Freedom of Information Act (FOIA), o equivalente americano da Lei de Acesso à Informação. A agência respondeu que o prazo necessário para a liberação dessas informações é de 55 anos.

Ou seja, apenas em 2076 as autoridades americanas divulgariam os documetnos detalhados do pedido de licença do imunizantes. O cientistas recorreram à Justiça Federal pois lá, como cá, pedidos de acesso à informação podem até demorar, mas não mais de cinco décadas.

No total são mais de 329 mil páginas de documentos, segundo a agência Reuters.

Vídeos Relacionados