Mais Lidas

STF

STF: advogado de Genoino estava bêbado quando desafiou Joaquim

Segurança do STF diz que advogado de Genoino estava embriagado ao desafiar Joaquim Barbosa, mas ele nega

acessibilidade:

Servidor do quadro de seguranças do Supremo Tribunal Federal relatou aos superiores que o advogado Luiz Fernando Pacheco, defensor do mensaleiro José Genoino, estava “visivelmente embriagado” quando interrompeu uma sessão plenária da Corte para exigir que um agravo que ele interpôs fosse colocar na pauta de julgamentos. Barbosa afirmou inclusive que foi ameaçado pelo advogado, fato que ele considerou “gravíssimo”. Pacheco negou que tenha ingerido bebida alcoólica

A Secretaria de Imprensa do STF divulgou em que afirma que o presidente, ministro Joaquim Barbosa, considerou “lamentável” o episódio ocorrido no início da sessão plenária de hoje, envolvendo o advogado que defende o ex-deputado Genoino. Segundo a nota, Pacheco “interrompeu abruptamente o julgamento de uma Ação Direta de Inconstitucionalidade para exigir que fosse imediatamente julgado recurso por ele interposto e concluso para julgamento no fim da semana passada”.

“Agindo de modo violento e dirigindo ameaças contra o Chefe do Poder Judiciário, o advogado adotou atitude nunca vista anteriormente em sessão deste Supremo Tribunal Federal. O Presidente zela para que todas as normas regimentais e legais sejam integralmente cumpridas e observadas igualmente por todos os advogados que militam perante esta Corte”, conclui a nota do STF.

Na tarde de hoje, o ministro Joaquim Barbosa determinou a seguranças do STF que retirassem do plenário o advogado, depois que Pacheco foi à tribuna e fez uma intervenção, pedindo que Barbosa colocasse em pauta um recurso com o qual pretende garantir o retorno de Genoino para a prisão domiciliar.

Depois de Pacheco afirmar que o presidente do STF deveria honrar o tribunal e colocar o recurso em julgamento, Barbosa determinou aos seguranças que retirassem o advogado do plenário. “O senhor pode cortar a palavra. Vou continuar falando”, reagiu. Ao ser levado pelos seguranças, Pacheco gritou que era “abuso de autoridade”. Barbosa respondeu: Quem está abusando de autoridade é Vossa Excelência. A República não pertence à Vossa Excelência e nem a sua grei, saiba disso.”

O Presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ministro Joaquim Barbosa, considerou lamentável o episódio ocorrido no início da sessão plenária desta quarta-feira (11), quando o advogado Dr. Luiz Fernando Pacheco interrompeu abruptamente o julgamento de uma Ação Direta de Inconstitucionalidade para exigir que fosse imediatamente julgado recurso por ele interposto e concluso para julgamento no fim da semana passada.

Agindo de modo violento e dirigindo ameaças contra o Chefe do Poder Judiciário, o advogado adotou atitude nunca vista anteriormente em sessão deste Supremo Tribunal Federal.

O Presidente zela para que todas as normas regimentais e legais sejam integralmente cumpridas e observadas igualmente por todos os advogados que militam perante esta Corte. Ao mesmo tempo, disponibiliza o áudio e o vídeo, para conhecimento.