Onda de violência

Suspeito de tiroteio em Baton Rouge é identificado

Ele foi morto pela polícia depois do atentado

acessibilidade:

O suspeito de atirar em policiais em Baton Rouge, Luisiana, foi identificado como Gavin Long, um rapaz de 29 anos que era negro. Ele foi morto pela polícia, disse uma fonte que acompanha a investigação.

Long era de Missouri e fazia parte de um grupo contrário ao governo chamado New Freedom Group. Três policiais foram mortos e outros três ficaram feridos em Baton Rouge, disseram as autoridades da Luisiana.

O drama acontece em um contexto de tensão racial na capital da Louisiana, palco de manifestações de protesto contra a violência policial nas últimas semanas.

Os protestos aconteceram depois da morte por um policial, no começo do mês, de Alton Sterling, um ambulante negro. O prefeito de Baton Rouge, Kip Holden, pediu calma no canal de TV local WAFB9, temendo um novo aumento da tensão naquela cidade: "Não deixemos que ninguém separe esta comunidade com atos absurdos de violência."

Um vídeo exibido pelo canal mostra os policiais chegando ao local do tiroteio. No começo, é ouvida uma sucessão de tiros espaçados; em seguida, um breve e intenso tiroteio.

Assassinar policiais

Um vídeo amador que mostra os últimos instantes de vida de Alton Sterling nas mãos da polícia, no começo de julho, amplamente divulgado na internet, provocou uma onda de indignação que se multiplicou no dia seguinte, quando outro negro, Philando Castile, foi morto pela polícia, desta vez em Minnesota.

Durante a realização de várias manifestações no país para denunciar a violência policial, um homem negro assassinou cinco policiais em Dallas, no último dia 7, antes de ser morto pelas forças de ordem.

Micah Johnson, um ex-combatente americano, afirmou que queria matar policiais brancos em represália pela morte de dois negros pelas forças de ordem naquela semana.

Na semana passada, a polícia de Baton Rouge informou ter prendido três pessoas que planejavam ataques para assassinar policiais. (AE)