Amigo de Lula

Sob silêncio da Igreja brasileira, ditador da Nicarágua fecha rádio católica

Ortega fechou emissora no ar há 40 anos e confiscou bens de 12 ongs

acessibilidade:
Ditador da Nicarágua, Daniel Ortega Foto: INTI OCONAFP

A ditadura da Nicarágua, chefiada por Daniel Ortega, amigo pessoal do presidente Lula (PT), tirou do ar a Rádio María, tradicional rede católica de rádio do pais, e fechou 12 ONGs que operavam sem fins lucrativos. Lula ignorou a violência, assim como seus aliados da Igreja brasileira, representada pela CNBB e muito ativa na crítica ao “autoritarismo”.

O total de ONGs banidas nos últimos seis anos foi de 3,6 mil, também foi confiscado a maior partes dos bens dessas instituições. Desde que assumiu o poder, em eleições com suspeita de fraude, Ortega vem perseguindo integrantes da igreja católica.

A rádio María, que operava há 40 anos, teve o seu estatuto jurídico anulado. A medida teve a aprovação da ministra do Interior, Maria Amelia Coronel, segundo acordos que constam no Diário Oficial La Gaceta.

O ministério justificou a medida como sendo uma resposta a rádio não ter apresentado suas demonstrações financeiras entre os anos de 2019 e 2023.

O ditador da Nicarágua, Daniel Ortega, é conhecido por perseguir a Igreja Católica, já tendo expulsado e prendido padres além de proibir a prática de atividades religiosas no país.

A ONG internacional Missão Portas Abertas, que monitora casos de perseguição à católicos no mundo há 30 anos, revelou que o ditador cancelou a cidadania de diversos líderes religiosos, muitos deles sendo forçados a se exilarem.