Mais Lidas

Experiência traumática

Com fronteiras fechadas, Rússia barra e deporta jovem violinista brasileiro

Caso Guido Sant Anna mostra que é preciso se informar antes de viajar

acessibilidade:
O jovem violinista Guido Sant Anna no aeroporto, onde ficou retido por 8 horas, e Ufá, capital do Bascortostão.

O “novo normal” da pandemia exige dos viajantes conhecimento das medidas contra covid no destino. Por isso o violinista brasileiro Guido Felipe Sant Anna, 18, passou o diabo, ao desembarcar em Moscou para uma competição internacional: foi barrado e deportado de volta a Dubai, de onde partira.

Com fronteiras fechadas, a Rússia faz muitas exigências, incluindo autorização especial do ministério cuja área promove o evento. No caso, o Ministério da Cultura do governo central. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

Diplomatas brasileiros explicaram que Guido tinha papel expedido pelo Ministério da Cultura de Ufá, capital do Bascortostão, local do evento.

Em relato nas redes sociais, o violinista contou ter ficado oito horas detido no aeroporto, sem água e até sem direito a usar o banheiro.

Guido havia tentado ir de Dubai a Moscou, mas a Emirates não deixou, sabia das exigências. Só embarcou após receber “autorização” de Ufá.