Mais Lidas

Eleições 2022

Condenado por improbidade, Agnelo quer se candidatar ou voltar à Anvisa

Ex-diretor diretor de Inspeções não deixou boa impressão na agência

acessibilidade:
Agnelo Queiroz (PT), ex-governador do Distrito Federal - Foto: Marcelo Camargo/ABr.

O ex-governador Agnelo Queiroz (PT) já sabe para onde vai caso o Supremo Tribunal Federal (STF) decida não aplicar a casos passados a Lei de Improbidade Administrativa e frustre sua intenção de concorrer à Câmara dos Deputados.

Com o pires na mão, o petista pretende pedir emprego ao petista Lula, caso este seja eleito em outubro.

Mas não é qualquer emprego. Ele quer voltar para a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), segundo afirmam pessoas próximas a Agnelo Queiroz.

O problema é que o ex-diretor diretor de Inspeções da agência não deixou boa impressão na sua passagem pela Anvisa antes de se tornar governador do DF em 2014.

Uma dos casos lembrados até hoje é o fato de o petista ter assinado quatro resoluções consideradas irregulares pela corregedoria. Na época – em 2012 – um dos funcionários da Anvisa revelou “pressão” de colegas de órgão para assinar uma autorização a um laboratório que depois doaria R$200 mil à campanha de Agnelo.

Apesar de ter se safado deste suposto crime, Queiroz foi condenado em 2020 após a Justiça constatar irregularidades nas obras de construção do Centro Administrativo do DF (Centrad), localizado em Taguatinga. Por isso, se tornou inelegível desde então.

O julgamento da ação que defende gestores acusados de mau uso do dinheiro público é fundamental para ele porque o Supremo vai decidir se a nova regra, que que só permite condenação em caso de dolo, ou seja, quando há intenção de causar dano aos cofres públicos, retroagir para beneficiá-lo.

Reportar Erro