Mais Lidas

Melhorando

Pela primeira vez no ano, mercado automotivo fecha um mês no azul

Os emplacamentos de julho foram melhores que junho e que o mesmo período de 2021, com isso, o acumulado diminui a diferença

acessibilidade:
Concessionária Fiat.
Pela primeira vez no ano, mercado automotivo um mês no azul. Foto: Geison Guedes/DP.

No último mês, de acordo com números da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), o mercado brasileiro de automóveis emplacou 169.093 veículos, alta de 2,2% quando comparado a junho (165.455) e, pela primeira vez no ano, houve um crescimento em relação ao mesmo período de 2021, de 4,13% (162.387). 

Com a melhora, ainda que tímida, o acumulado do ano diminuiu a diferença negativa para os primeiros sete meses de 2021. Até agora em 2022, foram emplacadas 1.020.511 unidades, redução de 12,7% em comparação com o ano passado (1.168.997).

Entre caminhões e ônibus, segue a gangorra apresentada ao longo do ano. Em julho, foram 12.889 unidades, alta de 2,36% em relação a junho (12.592), mas queda de 1,15% quando comparado com julho de 2021 (13.039). O acumulado do ano apresenta redução de 1,22% (79.384 contra 80.366).

Se julho se mostrou positivo para os automóveis, o mesmo não podemos dizer sobre as motocicletas. O último mês fechou todo no vermelho, foram 107.619 emplacamentos, uma queda de 10,96% comparado com junho (120.867) e de 4,4% em relação ao mesmo período do ano passado (112.567). O acumulado segue no azul, com alta de 18,16% (744.311 contra (629.893).

“Os segmentos tiveram comportamentos distintos em julho. Alguns registraram números melhores do que os de junho, com destaque para automóveis, comerciais leves e caminhões, enquanto outros, como ônibus e motocicletas, apontaram retração. A queda pode ser explicada por um conjunto de fatores, como a menor oferta, especialmente, no segmento de duas rodas, por conta de problemas na produção e pela maior restrição e aumento do custo de crédito, já que a inadimplência, nos financiamentos de veículos, está em 4,5%, de acordo com os dados divulgados, pelo Banco Central, referentes a abril/2022”, afirma Andreta Jr., presidente da Fenabrave.

Dessa forma, no geral, o mercado brasileiro de automóveis permanece no vermelho, mas em plena recuperação. Em julho, no total, foram emplacados 307.709 unidades, redução de 2,61% comparado com junho (315.953) e 0,56% para julho do ano passado (309.443). No acumulado, queda de 2,65% (1.958.945 contra 2.012.180).

Reportar Erro