Mais Lidas

Pesou a mão

Em mais novo surto, Peugeot apresenta o caríssimo novo 3008

O SUV médio que já custou R$ 139 mil acaba de ser reestilizado e esbarra nos R$ 250 mil

acessibilidade:
Peugeot 3008 2022. Fotos: Peugeot.

Não é de hoje que carro está caro no Brasil. As recentes e consecutivas altas assustam até os mais atentos consumidores. Com valores cada vez mais altos, é difícil apontar uma marca com produtos que possam ser chamados de baratos. Mas algumas são fáceis de dizer que estão errando na mão, a Peugeot é uma delas. 

Após causar espanto no lançamento da nova geração do 208 (que já está chegando em R$ 100 mil), a francesa apresenta mais um modelo com preços surreais, o 3008. O SUV médio recebe o facelift de meio de vida com mudanças interessantes no visual externo, pouquíssimas novidades na lista de equipamentos e nenhuma no conjunto mecânico.

Assim, como a dianteira, a traseira tem luzes full LED.

Mesmo com mudanças praticamente visuais, o utilitário chega custando quase R$ 100 mil a mais que há dois anos, quando a marca modificou as versões do 3008, apresentando a Active de entrada e Griffe Pack com topo de linha. Agora, para a versão 2022 do modelo, a marca trabalhará com a Griffe de entrada por insanos R$ 229.990 e a GT Pack por inimagináveis R$ 249.990. 

Para se ter uma ideia, neste mesmo período, o dólar (uma das justificativas das marcas pelos consequentes aumentos) subiu cerca de 30%, de R$ 3,92 em maio de 2019 para atuais R$ 5,04. Enquanto isso, a opção de entrada do 3008 — apesar de ter mudado a versão — subiu 64,2% (de R$ 139.990 para R$ 229.990) e a topo de linha 58,2% (R$ 157.990 para R$ 249.99). 

O interior é praticamente o mesmo.

Além do aumento surreal, a Peugeot está pedindo R$ 20 mil a mais de uma versão para a outra, com pouquíssimas diferenças entre elas, sendo as principais apenas visuais. A Griffe, como o nome indica, mantém o lado mais executivo, já a GT Pack parte para uma pegada mais esportiva, com detalhes em preto e não em cromado, além do teto bicolor.

E é no visual a principal novidade do francês, o SUV adota o novo estilo da marca, com o “dentes de sabre” na luz de circulação diurna em LED e com uma nova grade frontal, batizada de “Frameless” que avança pelo para-choque e dá um ar ainda mais sofisticado ao utilitário. Por dentro, o “i-cockpit” foi levemente modernizado, mas sem alterar o design.

Umas das novidades no visual é a grade frontal e os “dentes de sabre”.

Na parte dos equipamentos, pouquíssimas novidades, até porque o SUV já era bem completo. De novo, abertura do porta-malas por meio de sensor, sistema de câmeras 360º (até então era apenas 180º) e park assist, o auxiliar automático de estacionamento. 

Além disso, alguns sistemas, com o piloto automático adaptativo e o de leitura de placas foram modernizados. Este último, passa a ler também outras sinalizações e não apenas as de velocidades. Assim, ele mantém alerta de colisão, auxiliar de frenagem de emergência, sensor de ponto cego, detector de fadiga e correção e alerta de permanência em faixa. 

A Griffe tem detalhes cromados pela carroceria.

Sem falar em itens como sensores de estacionamento dianteiro e traseiro, crepuscular e de chuva, auxiliar de partida em rampa, controles de tração e estabilidade, painel de instrumentos digital de 12,3 polegadas, carregador sem fio para smartphones, seis airbags, ar-condicionado digital e dual zone, faróis full LED, abertura das portas e partida do motor com chave sensorial e teto solar panorâmico e elétrico.

Em relação a GT Pack, além dos detalhes visuais, ganha em relação a Griffe retrovisor interno frameless, sistema de som premium, a tela da central multimídia pula de oito para 10 polegadas e bancos com ajustes elétricos e massageador, o estranho é que este último tinha na Griffe, mas agora aparece apenas na opção topo de linha. Definitivamente, nada que justifique os R$ 20 mil a mais. 

A diferença da GT Pack para a Griffe não justifica os R$ 20 mil a mais.

Como outros modelos da Stellantis (grupo no qual a Peugeot pertence), o 3008 contará com a plataforma de compras Cart, prevista para o início do segundo semestre. Por meio de um aplicativo compatível com a central multimídia do carro e com uma solução de pagamento segura e integrada, será possível usufruir de produtos e serviços de várias marcas, sem sair do caminho. 

Se a lista de equipamentos quase não teve novidades, o conjunto mecânico é exatamente o mesmo. O 3008 mantém o consagrado motor 1.6 turbo de 165 cavalos e 24,5kgfm de torque apenas com gasolina. Mas já passou do tempo da Peugeot fazer um upgrade neste motor, para gerar uma potência ainda melhor. 

A motorização é a mesma, com o consagrado 1.6 THP.

Completa o conjunto mecânico, transmissão automática de seis velocidades com opção de trocas manuais por meio de borboletas no volante e três modos de condução (Normal, Eco e Esportivo), direção elétrica e suspensão independente na dianteira e eixo de torção semi-independente na traseira.

Peugeot 3008 2022.
Peugeot 3008 2022.
Peugeot 3008 2022.
Peugeot 3008 2022.
Peugeot 3008 2022. Fotos: Peugeot.
Peugeot 3008 2022.
Peugeot 3008 2022.
Peugeot 3008 2022.
Peugeot 3008 2022.
Peugeot 3008 2022.
Peugeot 3008 2022.
Peugeot 3008 2022.
Peugeot 3008 2022.
Peugeot 3008 2022.
Peugeot 3008 2022.
Peugeot 3008 2022.