sexta-feira, 18 outubro 2019

Coluna Cláudio Humberto


Bolsonaro afasta adeptos e faz a festa da oposição

Em poucos dois dias, Jair Bolsonaro conseguiu a proeza de esfarelar o que havia de apoio sólido entre deputados que o sustentam. Rachou o próprio partido, que só totaliza pouco mais de 10% dos 513 deputados, e ainda revelou sua fragilidade na Câmara ao ser derrotado na tentativa de enxotar da Liderança do PSL um ex-aliado que agora o chama de “vagabundo”. A oposição não esperava ter seu trabalho tão facilitado.

Puxadinho em festa

O Psol, que atua como linha auxiliar do PT, comemorou a crise entre Bolsonaro e PSL: “nessa briga de gangues, estamos do lado da briga”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Presidente entrou na briga sem chance de vencer

A derrota constrangedora de Jair Bolsonaro e dos filhos, na tentativa de expulsar o deputado Delegado Waldir (GO) da Liderança do PSL, provou que não havia chance de o presidente se sair bem dessa briga. E deu a oportunidade aos deputados para impor limites à sua influência no Legislativo. A crise com o PSL foi criada pelo próprio Bolsonaro, dizendo que o PSL “já era” e que seu presidente estava “queimado”.

Passou do ponto

Três deputado do PSL repetiram o mesmo à coluna: se Bolsonaro derrubasse o Líder, logo estaria indicando membros de comissões etc.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Não estão nem aí

As distribuidoras de energia, que mandam na “agência reguladora” Aneel, ganharam de presente do Ministério de Minas e Energia, em 2015, o programa ProGD que as estimula a investir em energia solar. Quatro anos depois, nada. Elas não gostam de geração distribuída.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Delegado de lua

Lutando para permanecer na liderança do PSL, o deputado Delegado Waldir (GO) não é exemplo de fidelidade. Em 2016, trocou o PSDB pelo PR e em 2018 foi para o PSL após a filiação de Bolsonaro.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Poder sem Pudor

Votos garantidos

O “coronel” e vereador Nei Ferreira era candidato à reeleição, em Vitória da Conquista (BA), quando visitou um bairro da cidade: “Aqui eu quero 750 votos!”, gritou no palanque. Um cabo eleitoral cochichou: “Pois o sr. vai ter 1.500 votos, coronel”. Ferreira voltou a proclamar, ao microfone: “Eu sei que 1.500 eleitores já prometeram votar em mim neste bairro, mas como eleitor é um animal muito safado, eu aceito a metade!

Continuar lendo

Frase do Dia

+ Cláudio Humberto

Bolsonaro afasta adeptos e faz a festa da oposição

Em poucos dois dias, Jair Bolsonaro conseguiu a proeza de esfarelar o que havia de apoio sólido entre deputados que o sustentam. Rachou o próprio partido, que só totaliza pouco mais de 10% dos 513 deputados, e ainda revelou sua fragilidade na Câmara ao ser derrotado na tentativa de enxotar da Liderança do PSL um ex-aliado que agora o chama de “vagabundo”. A oposição não esperava ter seu trabalho tão facilitado.

Puxadinho em festa

O Psol, que atua como linha auxiliar do PT, comemorou a crise entre Bolsonaro e PSL: “nessa briga de gangues, estamos do lado da briga”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Presidente entrou na briga sem chance de vencer

A derrota constrangedora de Jair Bolsonaro e dos filhos, na tentativa de expulsar o deputado Delegado Waldir (GO) da Liderança do PSL, provou que não havia chance de o presidente se sair bem dessa briga. E deu a oportunidade aos deputados para impor limites à sua influência no Legislativo. A crise com o PSL foi criada pelo próprio Bolsonaro, dizendo que o PSL “já era” e que seu presidente estava “queimado”.

Passou do ponto

Três deputado do PSL repetiram o mesmo à coluna: se Bolsonaro derrubasse o Líder, logo estaria indicando membros de comissões etc.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Não estão nem aí

As distribuidoras de energia, que mandam na “agência reguladora” Aneel, ganharam de presente do Ministério de Minas e Energia, em 2015, o programa ProGD que as estimula a investir em energia solar. Quatro anos depois, nada. Elas não gostam de geração distribuída.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Delegado de lua

Lutando para permanecer na liderança do PSL, o deputado Delegado Waldir (GO) não é exemplo de fidelidade. Em 2016, trocou o PSDB pelo PR e em 2018 foi para o PSL após a filiação de Bolsonaro.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Poder sem Pudor

Votos garantidos

O “coronel” e vereador Nei Ferreira era candidato à reeleição, em Vitória da Conquista (BA), quando visitou um bairro da cidade: “Aqui eu quero 750 votos!”, gritou no palanque. Um cabo eleitoral cochichou: “Pois o sr. vai ter 1.500 votos, coronel”. Ferreira voltou a proclamar, ao microfone: “Eu sei que 1.500 eleitores já prometeram votar em mim neste bairro, mas como eleitor é um animal muito safado, eu aceito a metade!

Continuar lendo

Frase do Dia

+ Cláudio Humberto