Cláudio Humberto
Coluna CH / 12 de abril

Rejeição a Lula dificulta candidatos do PT em 4 estados

acessibilidade:
Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva. (Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado)

Candidatos do PT às eleições municipais deste ano viram confirmada a má notícia: a avaliação o presidente Lula caiu tanto que ele deixou de ser um cabo eleitoral vencedor. Pesquisa Quaest em quatro importantes Estados (São Paulo, Minas Gerais, Paraná e Goiás), que somam 41% do eleitorado nacional, mostra que os respectivos governadores são muito bem avaliados, bem mais que Lula, e viraram os maiores “eleitores”. Só os 34,6 milhões de eleitores paulistas são 22,1% do eleitorado nacional.

Ratinho bem

No Paraná, o governo de Ratinho Jr (PSD) soma 79% de aprovação, e os paranaenses rejeitam o governo Lula, que tem 54% de reprovação.

Tarcísio voa

Tarcísio Gomes de Freitas (Rep), por exemplo, tem aprovação de 62% dos eleitores paulistas; Lula caiu e soma hoje 50%.

Zema é o cara

Em Minas, candidato a prefeito e a vereador com ligação ao governador Romeu Zema (Novo), com 63% de aprovação, terá chances melhores.

Caiado 86%

Ronaldo Caiado (União), de Goiás, marcadamente de oposição, é outro governador bem avaliado: 86%. Lula é reprovado por 50% dos goianos.

No Sudeste, maior colégio do País, com 42% dos votantes, a repulsa à reeleição de Lula é de 63%. (Foto: Reprodução/Canal Gov)

Após vetar saidinha, Lula pode passar nova vergonha

Lula (PT) deve passar vergonha outra vez, após vetar decisão do Congresso que extingue a “saidinha”, criada para criminosos que aproveitam a regalia para cometer mais crimes. A regra teve votações acachapantes: 62x2 votos no Senado e 311x98 na Câmara. Como já ocorreu, o veto deve ser derrubado por parlamentares como Rodrigo Pacheco (PSD-MG), que endossou a medida após o caso do bandido matou covardemente um PM do seu Estado na saidinha de fim de ano.

Nada que recomende

Segundo o experiente procurador de Justiça Marcelo Rocha Monteiro, do Rio, não há um só estudo que recomende a manutenção da saidinha.

Saidinha não recupera

Monteiro afirmou que nenhuma pesquisa ou levantamento comprovou que a “saidinha” ajuda na recuperação de criminosos encarcerados.

Ele quer desencarcerar

O veto presidencial foi recomendado pelo ministro da Justiça, Ricardo Lewandowski, conhecido defensor de apavorante “desencarceramento”.

Poder sem Pudor

Rigor conventual

Era um almoço oferecido a empresários de outros Estados, no Palácio das Princesas, pelo então governador de Pernambuco Roberto Magalhães. Durante a sobremesa, um dos convidados elogiou a fruta servida. “É um fruto divino!”, brincou Sileno Ribeiro, poderoso secretário do Gabinete Civil de Magalhães. Brincou com fogo. D. Jane, a influente primeira-dama, católica fervorosa, achou que o secretário cometera uma blasfêmia. Reza a lenda que ela teria exigido sua demissão e que foi atendida.

Sob investigação

Finalmente ontem, a pedido da Procuradoria Geral da República, o ministro Nunes Marques mandou a Polícia Federal investigar a prática de crimes de ameaça e de incêndio criminoso, atribuídos ao deputado Luciano Bivar (PE), presidente afastado do União Brasil.

Você amanhã

Nikolas Ferreira (PL-MG) lembra a ignorada imunidade parlamentar, prevista na Constituição, ao comentar inquérito por chamar o presidente Lula de ladrão. “Hoje sou eu, amanhã é você”, alertou o deputado.

Gera empregos

Ao dizer que Elon Musk não produz nada no Brasil, Lula, por má-fé ou ignorância, despreza os empregos que os negócios do empresário geram por aqui por meio do X, antigo Twitter, Tesla, Starlink e por aí vai,

Titubearam

Os deputados Eduardo da Fonte (PP) e Waldemar Oliveira (Avante) foram os únicos da bancada pernambucana que se abstiveram na votação que chancelou a prisão de Chiquinho Brazão (sem partido-RJ).

Frase do dia

“Negligenciar a saúde pública é negligenciar os brasileiros”

Deputada Rosangela Moro (União-SP) sobre corte de verbas da Farmácia Popular

Rejeição na terra do triplex

Não é boa a avaliação de Lula em Guarujá, onde o petista foi acusado de ganhar um rico triplex. Ele é desaprovado por 55,3% do eleitorado, revela levantamento divulgado nesta quinta (11) pelo Paraná Pesquisas.

Farra das ONGs

O deputado Filipe Barros (PL-PR) prometeu apresentar um projeto para restringir a atuação de ONGs internacionais no Brasil. É um passo para o fim da farra das organizações que se refestelam sobretudo na Amazônia.

BRB em alta

A elogiada gestão do Banco de Brasília registrou, em 2023, alta de 24,4% no lucro líquido recorrente, o que representa R$200 milhões. A clientela do banco saltou de 650 mil para 7,6 milhões em cinco anos.

Pela soltura

Na votação que validou a prisão do deputado federal Chiquinho Brazão (sem partido-RJ), deputados de dois partidos alinhados à esquerda votaram contra a manutenção do cárcere: Partido Verde (PV) e PDT.

Pensando bem...

...contrariar o Congresso não acabou bem para o último presidente.

Reportar Erro