Documento com a PF

Torres guardava proposta para decretar estado de defesa, diz jornal

Documento permitiria apurar atuação de Alexandre de Moras no TSE

acessibilidade:
O ex-ministro da Justiça foi preso após os atos de 8 de janeiro Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ ABr

O ex-ministro da Justiça Anderson Torres guardava em casa uma proposta de decreto para que o ex-presidente Jair Bolsonaro, então no poder, decretasse estado de defesa na sede do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para reverter o resultado do pleito que elegeu Lula como presidente. O documento foi encontrado pela Polícia Federal no armário de Torres. As informações são do jornal Folha de São Paulo.

De acordo com a publicação, o documento teria o objetivo de apurar a conduta do presidente do TSE, ministro Alexandre de Moraes, como suspeição, abuso de poder e medidas ilegais adotadas por Moraes antes, durante e depois das eleições.

Anderson Torres virou alvo da Justiça desde a invasão das sedes dos Poderes, no último domingo (8). Há suspeitas de envolvimento de Torres, então secretário de Justiça do Distrito Federal, nos atos de vandalismo. Com a depredação do Palácio do Planalto, do Supremo Tribunal Federal e do Congresso Nacional, Torres foi demitido no mesmo dia pelo governador do DF, Ibaneis Rocha. Ibaneis acabou afastado do cargo, em decisão monocrática, por Alexandre de Moraes.