Assalto iminente

Mercosul tem ‘profunda preocupação’ com invasão venezuelana

Países alertam que ações unilaterais que devem ser evitadas

acessibilidade:
Ministro da Defesa do ditador venezuelano Nicolás Maduro diz ser 'provocação' envio de navio militar britânico à Guiana após negociações com o presidente da Guiana Irfaan Ali. (Foto: Reprodução/ Redes Sociais).

Países do Mercosul, além de Chile, Colômbia, Equador e Peru, divulgaram declaração conjunta sobre a situação entre a Venezuela e a Guiana. No domingo, o ditador venezuelano e amigão de Lula, Nicolás Maduro, fez um plebiscito sobre anexação de parte do território da Guiana.

Na declaração divulgada no início da noite desta quinta-feira (7), os signatários manifestam “profunda preocupação” com o plano do ditador venezuelano de tomar área equivalente a 75% do território do país vizinho.

Veja a íntegra da nota:

Declaração dos Estados Partes do MERCOSUL, Chile, Colômbia, Equador e Peru sobre a situação entre Venezuela e Guiana

Os Estados Partes do MERCOSUL manifestam sua profunda preocupação com a elevação das tensões entre a República Bolivariana da Venezuela e a República Cooperativa da Guiana. A América Latina deve ser um território de paz e, no presente caso, trabalhar com todas as ferramentas de sua longa tradição de diálogo.​

Nesse contexto, alertam sobre ações unilaterais que devem ser evitadas, pois adicionam tensão, e instam ambas as partes ao diálogo e à busca de uma solução pacífica da controvérsia, a fim de evitar ações e iniciativas unilaterais que possam agravá-la.

 

Reportar Erro