Michel Nisembaum

Lula diz lamentar morte de brasileiro, mas nem cita terrorismo do Hamas

Corpo do brasileiro foi recuperado pelo exército israelense

acessibilidade:
Michel Nisembaum, brasieiro assassinado pelos terroristas do Hamas - Foto: Embaixada de Israel.

O presidente Lula não criticou ou condenou o Hamas em nota que se solidarizou aos familiares de Michel Nisembaum, brasileiro sequestrado e morto sob domínio do grupo terrorista. O corpo de Michel foi recuperado nesta sexta-feira (24) por Israel.

Nisembaum foi capturado e assassinado quando se deslocava para buscar a neta. O corpo do brasileiro foi encontrado em Jabalia, cidade ao norte de Gaza.

Veja abaixo a nota de Lula:

“Soube, com imensa tristeza, da morte de Michel Nisembaum, brasileiro mantido refém pelo Hamas. Conheci sua irmã e filha, e sei do amor imenso que sua família tinha por ele. Minha solidariedade aos familiares e amigos de Michel. O Brasil continuará lutando, e seguiremos engajados nos esforços para que todos os reféns sejam libertados, para que tenhamos um cessar-fogo e a paz para os povos de Israel e da Palestina.”

Lula não fez qualquer menção ao fato de que o brasileiro foi morto durante ataque terrorista do Hamas que matou cerca de 1200 pessoas, a maioria jovens desarmados que participavam de um festival de música.

A falta de condenação incisiva aos terroristas motivou críticas contra Lula. O grupo terrorista inclusive já divulgou vídeo agradecendo o apoio de Lula à Palestina.

A nota do petista lamentando o assassinato do brasileiro ocorre quatro dias após Lula também lamentar a morte de Ebrahim Raisi, presidente do Irã, país que é um dos financiadores e apoiadores do Hamas.