Primeira-dama

Gastos de Janja parecem um ‘deboche’ com a população, avalia cientista política

Para ela as atitudes da primeira-dama são incoerentes com o discurso do PT

acessibilidade:
Primeira-dama Janja mo carnaval de Salvador - Foto: Redes Sociais.

A cientista política, Deysi Cioccari, avaliou a atuação da primeira-dama do Brasil, Janja Lula como incoerente ao discurso político do Partido dos Trabalhadores (PT). Deysi apontou deslumbres de Janja como a aparição da primeira-dama no programa Fantástico com uma blusa de grife muito cara e a montagem de um quarto no valor de R$ 200 mil, quando o litoral paulista sofria com enchentes e a população pagava por um galão de água o valor de 90 reais.

Para a cientista política, essa situação da primeira-dama pode parecer um deboche e um sarcasmo com a população.

“Desde o primeiro dia, a Janja falou que buscaria o protagonismo dela e que seria uma primeira-dama diferente, mas as atitudes dela não têm sido muito coerentes com o discurso do PT. O Brasil não está vivendo o melhor momento. Não é questão de direita ou esquerda, mas de moralidade pública. Montar um quarto de R$ 200 mil quando o litoral norte [de São Paulo] recebeu um orçamento parco de R$ 2 milhões e as pessoas pagavam R$ 90 na água às vezes pode parecer um deboche e sarcasmo”, avaliou Deysi em entrevista ao UOL.

Deysi ainda apontou que as polêmicas envolvendo a primeira-dama causam ruídos na comunicação do governo e criam um clima de instabilidade no Congresso.

“A Janja não será uma primeira-dama comum, e não queremos que seja. É muito bom ver uma mulher com protagonismo na cena política, mas ela tem que começar a baixar um pouquinho o tom para não causar ruído na comunicação do governo. Tudo isso vai somando e criando um clima de instabilidade no Congresso, dando mais poder àquelas pessoas que atacam o governo” , destacou.

 

Reportar Erro