CPI deu em pizza

Ex-CEO das Americanas diz ser ‘bode expiatório’ e acusa trio bilionário

Bilionários escaparam de indiciamento em relatório da CPI das Americanas

acessibilidade:
Beto Sicupira, Jorge Paulo Lemann e Marcel Telles, sorridentes bilionários, sócios das Americanas - Foto: redes sociais.

O ex-CEO das Americanas Miguel Gutierrez enviou uma carta à CPI que apura a fraude fiscal da companhia e disparou contra os três principais sócios do negócio, os bilionários Jorge Paulo Lemann, Beto Sicupira e Marcel Telles.

Na carta enviada ao colegiado, divulgada pelo jornal Valor Econômico, Gutierrez diz ser “conveniente ‘bode expiatório’ para ser sacrificado em nome da proteção de figuras notórias e poderosas do capitalismo brasileiro”.

O ex-CEO diz ainda que o trio de bilionários participa ativamente da gestão financeira das Americanas.

Nesta segunda-feira (4), o relatório da CPI foi apresentado e deve ser votado hoje. O relator, deputado federal Carlos Chiodini (MDB-SC), decidiu não imputar responsabilidades pela fraude fiscal. O rombo na varejista, que lesou milhares de acionistas, é estimado em cerca de R$45 bilhões.

Em nota encaminhada ao Diário do Poder, a companhia refutou as acusações do ex-ceo.

Veja a nota:

“A Americanas refuta veementemente as argumentações apresentadas pelo senhor Miguel Gutierrez à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) na véspera da apresentação do relatório final.  A companhia reitera que o ex-dirigente da Americanas não contestou em nenhum momento os documentos e fatos apresentados à Comissão no dia 13 de junho, que demonstram a sua participação na fraude.

A Americanas reitera que o relatório apresentado na Comissão Parlamentar de Inquérito em 13/06, baseado em documentos levantados pelo Comitê de Investigação Independente, além de documentos complementares identificados pela Administração e seus assessores jurídicos, indica que as demonstrações financeiras da companhia vinham sendo fraudadas pela diretoria anterior da Americanas, capitaneada pelo senhor Miguel Gutierrez.

A Americanas confia na competência de todas as autoridades envolvidas nas apurações e investigações, reforça que é a maior interessada no esclarecimento dos fatos e irá responsabilizar judicialmente todos os envolvidos.”

Reportar Erro