Cadeira no conselho

Derretimento da Petrobras vira ‘vitória’ de Haddad

Além de candidato a sucessor de Lula, Haddad tem sido apontado por aliados como “ponte” entre o governo e a iniciativa privada

acessibilidade:
O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, (Foto: Ministério da Fazenda/ Diogo Zacarias)

A crise na Petrobras, que perdeu quase R$56 bilhões de valor de mercado em poucos dias, se transformou em “vitória” para Fernando Haddad (Fazenda), que ganha espaço na administração petista e o poder de indicar conselheiro para a administração da maior empresa do Brasil. A Secretaria-Executiva do ministério de Haddad se transformou num verdadeiro trampolim do Lula 3: após Gabriel Galípolo virar diretor do Banco Central, Rafael Dubeux vai para o Conselho da Petrobras. As informações são do jornalista Cláudio Humberto, colunista do Diário do Poder.

Apesar de ganhar espaço no governo, Haddad coleciona cascas de banana: crise na economia, e agora na estatal, terão “pai”.

O poder de Haddad sobre cargos chaves do governo tem gerado ciúmes dentro do PT, que já vive disputa pelo espólio eleitoral de Lula.

Além de candidato a sucessor de Lula, Haddad tem sido apontado por aliados como “ponte” entre o governo e a iniciativa privada.

Reportar Erro