Mais Lidas

Indicou administrador

Washington Mesquita: "não serei conivente com corrupção"

Washington Mesquita colocou o administrador de Taguatinga no cargo

acessibilidade:

O deputado distrital Washington Mesquita (PSD), responsável pela indicação do administrador de Taguatinga, Carlos Alberto Jales, alegou que não será conivente com atos de corrupção do ?pupilo?.  Pelo Twitter, o parlamentar disse que só terá condição de ?manifestar sobre os fatos ocorridos na Administração de Taguatinga quando voltar de viagem oficial e, assim, conhecer os autos do processo?. Ele não quis comentar o assunto. “Jamais serei conivente com qualquer ato de corrupção. Mas não posso emitir nenhum juízo de valor sem antes conhecer a realidade dos fatos.”

Até a tarde desta quinta-feira (7), o administrador era considerado foragido da Polícia. Ele não foi localizado pelos agentes que investigam o suposto envolvimento dele no esquema de violação de normas urbanísticas. O diretor da  corporação Jorge Xavier avisou que a situação dele pode piorar caso não se apresente. “Ele poderá ter mandado de prisão preventiva decretado e ter que permanecer preso durante todo o processo de investigação”.

A Operação Hamurabi prendeu o administrador de Águas Claras, Carlos Sidney de Oliveira, e apreendeu R$ 50 mil em espécie escondidos na casa dele. O ex-governador Paulo Octávio compareceu à delegacia para prestar esclarecimentos e saiu sem falar com a imprensa. Além do ex-governador e dos administradores, outros nove pessoas, entre elas servidores e empresários, também tem mandado de condução coercitiva. Eles são: Marfisa Adriane Gontijo Jales, Elaine Wetzel, Gilda Patrícia Fonseca Cabrera, Larissa Queiroz Noleto, Gabriela Canielas Gonçalves, Fernanda Castelão Sorgi Barral, Luiz Felipe Hernandes Guerra de Andrade, Laurindo Modesto Pereira Junior e Carlos Antônio Borges.