Mais Lidas

Mau exemplo

Viatura do Detran é flagrada em vaga para portador de necessidade especial

Órgão afirmou que motorista terceirizado já foi desligado

acessibilidade:

Uma viatura do Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran-DF) foi flagrada em uma vaga para pessoas portadoras de necessidades especiais, no estacionamento do Serra Shopping, em Sobradinho.

O estacionamento irregular é enquadrado como infração gravíssima, sujeita a multa de R$ 293,47. Segundo o Detran-DF, de janeiro a setembro deste ano foram registradas 179.470 infrações relativas a estacionamento irregular, média de 657 autuações por dia – incluindo viaturas do órgão que deveriam dar o exemplo.

Segundo o Detran, os motoristas das viaturas administrativas são de empresas terceirizadas. “O motorista em questão não faz parte do quadro regular de servidores terceirizados que prestam serviços ao órgão e foi contratado apenas para cobrir férias.” O órgão afirma que, com o ocorrido, o motorista foi desligado com a recomendação de não ser mais designado ao Detran.

Outros casos em 2017

Em setembro deste ano, um agente do Detran foi flagrado usando a viatura para ir almoçar em casa, no Cruzeiro Velho. De acordo a denúncia divulgada no DF-TV, o agente passa pelo menos uma hora em casa, todos os dias, deixando o veículo parado na porta de casa.

De acordo com decreto do governo do Distrito Federal, os veículos oficiais podem ser usados apenas para o serviço público. É proibido usar os carros dos órgãos para atender questões pessoais. À época, o Detran afirmou que o caso seria apurado pela Corregedoria.

Outro ocorrido que indignou os brasilienses foi o de duas agentes do órgão que permaneciam dentro da viatura, mexendo no celular, enquanto os sinais dos cruzamentos da W3 Sul e das vias S2 e S3 estavam intermitentes. Os pedestres, sem assistência, se arriscavam atravessando entre os carros.

Um cidadão gravou um vídeo, cobrando uma atitude das agentes. “Você está vendo que o pessoal está se arriscando na pista, [que o sinal] está intermitente? Você não concorda que deveria estar fora da viatura, parando o trânsito e coordenando o trânsito, e não no celular?”

As agentes justificaram a atitude dizendo que celular era funcional e que era preciso continuar no veículo, esperando por contato pelo rádio para intervir no trânsito. O Detran também afirmou que estava apurando o caso quando questionados sobre a conduta das servidoras.

O Detran informou que os casos citados ainda estão em processo de apuração. "Há que se respeitar os prazos legais para a ampla defesa dos envolvidos."