Mais Lidas

Covid-19 recuando

Vacina faz cair ocupação de UTIs para 35% em Alagoas e 28% em Maceió

Recuo não garante controle da pandemia, adverte diretor da Santa Casa de Maceió

acessibilidade:
Profissional de saúde próximo a leito de paciente com covid-19. Há cortinas azuis e outros leitos compondo a imagem, no Hospital Metropolitano em Maceió
Vacinação ajudou a conter avanço descontrolado da pandemia. Foto: Thiago Duarte/Agência Alagoas

O mais recente boletim emitido ontem (29) pela Secretaria da Saúde de Alagoas registrou que a taxa de ocupação de leitos de UTI exclusivos para pacientes com covid-19 na rede pública estadual estabilizou em 35%. Em Maceió, a taxa está ainda menor, com 28% de ocupação. Apesar da queda resultante do avanço da vacinação, as autoridades alertam que os alagoanos devem manter todos os cuidados relacionados ao combate à pandemia, com uso de máscaras ao sair de casa, higienização periódica das mãos e respeito ao distanciamento social.

“Vamos seguir em frente. Enfrentando a pandemia, vencendo a Covid para que a gente possa retomar a nossa normalidade”, disse o secretário da Saúde de Alagoas, Alexandre Ayres.

Sem citar a origem das vacinas contratadas pelo governo de Jair Bolsonaro e enviadas pelo Ministério da Saúde, o gestor da Saúde do governo de Renan Filho (MDB) atribui a redução das internações ao protagonismo na campanha de imunização em Alagoas, bem como repasses para municípios acelerarem a vacinação e a inauguração de quatro grandes hospitais durante a pandemia.

A redução das internações também são consequência da eficácia da capital alagoana na aplicação de vacinas enviadas pelo Ministério da Saúde, como tem destacado o prefeito de Maceió, João Henrique Caldas, o “JHC” (PSB).

No interior de Alagoas, o índice de ocupação de leitos de UTI exclusivos para pacientes com covid-19 é de 43%, maior que a média estadual.

Cuidados seguem contra 3ª onda

A luta contra a Covid-19 não acabou, como adverte o pneumologista Artur Gomes Neto, diretor médico da Santa Casa de Misericórdia de Maceió. Segundo o especialista, a pandemia está sobre extrema vigilância, e foi justamente isso que levou a queda do número de casos.

“A pandemia não está controlada! Eu fiquei extremamente preocupado quando vi as pessoas mais uma vez pensarem que o relaxamento natural das medidas significasse que a pandemia estivesse controlada. Uma vez havendo relaxamento das pessoas em relação às medidas sanitárias de proteção – especialmente em relação ao uso de máscara e aglomeração em locais fechados e abarrotados de gente –, sobretudo com os que não foram vacinados, a gente vai ter a terceira onda.  A preocupação nossa é com relação a uma possível cepa nova. Temos que continuar em alerta”, explica o médico Artur Gomes Neto.

Para que as taxas de ocupação de leitos caiam ainda mais, é preciso continuar atento aos cuidados no combate ao vírus, inclusive para evitar a proliferação de novas variantes. Por isso, não esqueça:

  • Use máscara ao sair de casa;
  • Respeite os protocolos de distanciamento social;
  • Lave suas mãos com frequência. Use sabão e água ou álcool em gel;
  • Evite tocar os olhos, nariz ou boca;
  • Cubra nariz e boca com o braço dobrado ou um lenço ao tossir ou expirar;
  • Fique em casa se você se sentir indisposto;
  • Procure atendimento médico se tiver febre, tosse e dificuldade para respirar. (Com informações da Secom Alagoas)

Vídeos Relacionados