Vai vendo

Indústria de demarcação de terras inclui IBGE, diz presidente da CPI das ONGs

O senador Plínio Valério (PSB-AM) chamou de ‘hipócrita’ a ação das ONGs

acessibilidade:
Presidente da CPI das ONGs, senador Plinio Valério. (Foto: Agência Senado)

O presidente da CPI das ONGs, senador Plínio Valério (PSDB-AM), deu declaração ao Diário do Poder, afirmando que a indústria de demarcação de terras atua desde a produção de falsos laudos antropológicos até a ‘transformação’ de pardos e mestiços em indígenas.

Segundo ele, a atuação das ONGs na manipulação de registros étnicos e controle de territórios conta com a ‘aquiescência do IBGE’.

Ainda de acordo com o parlamentar, para atender a interesses internacionais sobre a Amazônia, as organizações atuam com ‘safadeza’ e ‘hipocrisia’.

O Diário do Poder mostrou o caso de um laudo suspeito, que resultou na retirada de 3 mil pessoas da região de Apyterewa, no município de São Félix do Xingu (PA).

Segundo denúncia do prefeito de São Félix do Xingu, João Cleber de Souza, ONGS produzem laudos antropológicos para fazer com que grandes extensões de terra se tornem reservas indígenas.

Reportar Erro