Cada uma...

Aras cria polícia particular do ministério público para ‘proteger’ procuradores

Agentes ficarão subordinados ao Procurador Geral da República

acessibilidade:
Augusto Aras, procurador-geral da República - Foto: MPF.

O procurador-geral da República, Augusto Aras, aproveitou o apagar das luzes de 2022 para criar uma polícia partocular para o Ministério Público da União. A portaria, de número 202, foi publicada no último dia do ano passado, 31 de dezembro.

Entre as atribuições da polícia de Aras estão a segurança de membros do Ministério Público e seus familiares, a condução de veículos, realizar investigações do interesse da instituição e realizar policiamento ostensivo nas dependências do MPU.

A portaria não especifica salário para esses agentes ou o número do contingente criado. A polícia ficará subordinada ao PGR.

Assim como a Polícia Legislativa, que age no Congresso Nacional sob justificativa de proteger deputados e senadores, a polícia de Aras, em caso de delito flagrante o detido deverá ser mantido sob custódia até a entrega à autoridade policial competente.