É só desperdício?

Aluguel de prédio pelo Serpro levanta suspeitas

Deputado denunciou o caso e pediu explicações ao ministro da Fazenda

acessibilidade:
Deputado Luciano Vieira (Rep-RJ) - Foto: Agência Câmara.

Arrumaram mais uma dor de cabeça para o ministro Fernando Haddad (Fazenda), à margem dos pacotes de maldades na economia. Sobrou para ele explicar uma bola nas próprias costas: o rico aluguel de um prédio, no Rio de Janeiro, para alojar o Serpro (Serviço Federal de Processamento de Dados). Tudo seria banal não fosse o detalhe de que o Serpro tem prédio próprio (e suficiente) na cidade do Rio de Janeiro. A informação é da Coluna Claudio Humberto, do Diário do Poder,

O deputado Luciano Vieira (Rep-RJ) recebeu a denúncia e pediu explicações a Haddad, superior hierárquico do Serpro.

Vieira ainda cobrou os contratos e os respectivos valores, já que o Serpro as esconde, disponibilizando apenas informações gerais.

A coluna pediu explicações ao Serpro sobre a denúncia de abandono do próprio prédio e o aluguel. Evitaram esclarecer. O espaço segue aberto.

(MATÉRIA ATUALIZADA ÀS 12H42  DO DIA 30/06 COM NOTA DO SERPRO)

Em relação à matéria publicada no Diário do Poder, no dia 30 de junho de 2024, intitulada “Aluguel de prédio pelo Serpro levanta suspeitas”, gostaríamos de esclarecer alguns pontos importantes:

Não há negociação em andamento para aluguel de novos prédios pelo Serpro na cidade do Rio de Janeiro. A empresa mantém há alguns anos três endereços na localidade:

Ministério da Fazenda:
Sala no prédio do Ministério da Fazenda para atendimento às equipes de infraestrutura que desenvolvem atividades diretamente relacionadas aos serviços fazendários. A empresa tem junto ao Ministério da Fazenda um acordo de cessão de uso para compartilhamento do prédio. As negociações desse acordo são pontuais e realizadas diretamente com as equipes de logística do MF.

Prédio no Jardim Botânico:
A empresa está em articulação com a administração do Jardim Botânico para revisar o documento que regula o uso das instalações do Serpro na localidade. A proposta é ampliar as oportunidades de compartilhamento do espaço próprio do Serpro com outros órgãos públicos, visando melhor aproveitamento do bem público.

Prédio no Andaraí:
Este prédio está desativado desde a pandemia devido à adoção do trabalho remoto para grande parte dos trabalhadores do Rio. Atualmente, o Serpro estuda modelos possíveis para a comercialização do imóvel ou cessão de uso para outros órgãos públicos, visando diminuir os custos da empresa com a manutenção do prédio.

Compromisso com a Sociedade:
O Serpro reitera seu compromisso com a eficiência, inovação e transparência em suas operações, buscando sempre o melhor para a sociedade e para o desenvolvimento do país.

Estamos à disposição para quaisquer esclarecimentos adicionais que se façam necessários. Agradecemos o espaço para prestar esses esclarecimentos e reafirmamos nosso compromisso com a transparência e a responsabilidade pública.