8 de janeiro

Flávio Dino é cobrado pelas imagens apagadas de 8 de janeiro

Ele alega que imagens foram apagadas por suposto "problema contratual"

acessibilidade:
Partido Novo aciona PGR contra Dino Foto: Isaac Amorim/MJSP

O ministro da Justiça e Segurança Pública Flávio Dino, tem sido questionado por internautas nesta quarta-feira (30), sobre as imagens de câmeras de segurança de 8 de janeiro estranhamente apagadas. 

Pela manhã, Dino anunciou em seu perfil no Twitter, que o ministério iria apresentar algumas ações sobre o problema de pessoas desaparecidas no Brasil. Esta foi a deixa para que os internautas cobrassem o ministro sobre as imagens do 8 de Janeiro.

“Ministro, aproveite e apresente algumas ações sobre o problema das IMAGENS DESAPARECIDAS. E por que o Ministério da Justiça estava tão protegido no dia 8/1 e não sofreu danos. Causa espécie a ausência de esclarecimentos”.

Diante da repercussão, Flávio Dino informou que as imagens foram apagadas por suposto “problema contratual”, porque a empresa responsável pelo monitoramento não seria obrigada a manter as imagens após um tempo determinado. 

“O mesmo problema aconteceu no Senado. O mesmo problema que aconteceu aqui, que é contratual. E isso acontece nas empresas privadas também. E eu não sabia disso, porque não sou gestor de contrato”.

“Agora, essas imagens vão mudar a realidade dos fatos? Não, não vão. Não vão aparecer infiltrados e não vai aparecer a prova desse terraplanismo que eles inventaram para ocultar a responsabilidade dos criminosos. Esses que ficam falando em omissão (do governo) são os amigos dos terroristas”.

O ministro da Justiça  alegou que o secretário-executivo, Ricardo Cappelli, está buscando uma forma de recuperar as imagens, há pelo menos uma semana. Para o ministro não é verdade que existam poucas imagens do 8 de janeiro.

O sumiço dessas imagens gerou até a ameaça contra o ministro por parte do presidente da CPMI do 8 de Janeiro, deputado Arthur Maia (União Brasil-BA). Maia afirmou que entraria com uma queixa-crime contra Flávio Dino, caso as imagens não fossem disponibilizadas. 

Dino alegou que a solicitação deveria ser feita para a Polícia Federal. A PF entregou algumas imagens à comissão, entretanto não foram as imagens internas do prédio do Ministério da Justiça. (Com informações CNN Brasil e R7).

Reportar Erro