Fim da picada

Polícia de SP prendeu 640 detentos durante ‘saidinha’

Teve preso que aproveitou a "saidinha" para fazer turismo em Fortaleza

acessibilidade:

O “saidinha” de cerca de 50 mil presos no Estado de São Paulo termina nesta terça-feira (17) com a prisão, durante a “folga”, de 640 criminosos beneficiados pela medida, como revelou esta manhã o jornalista Pedro Campos no programa “Jornal Gente”, que é transmitido simultaneamente pela Rádio Bandeirantes e TV BandNews. Esse total de prisões equivale a um presídio inteiro, observou o jornalista.

De acordo com fontes da Secretaria de Segurança paulista, os policiais prenderam esses bandidos em situações de descumprimento das regras da saidinha, flagrados cometendo crimes, circulando à noite em bares ou ingerindo bebidas alcoólicas em bordéis.

Houve um caso ainda mais bizarro de detento que aproveitou os sete dias fora do presídio para fazer turismo em Fortaleza, apesar da proibição de deixar a cidade.

Apesar da decisão do Congresso Nacional que promulgou a lei que acaba com as “saidinhas”, o Tribunal de Justiça de São Paulo manteve em junho a regalia programada para os bandidos que a sociedade conseguiu condenar à prisão em regime fechado.

Agora, com o fim do prazo para retornar aos respectivos estabelecimentos prisionais, as autoridades farão um balanço sobre quantos dos 50 mil serão considerados foragidos.

Até recentemente, as saidinhas paulistas beneficiavam cerca de 35 mil presos e resultavam na fuga ao menos de 1.500, em média, que fizeram opção pelo mundo do crime. Com a saidinha de 50 mil detentos, a expectativa é que o número de foragidos aumente.