Política

O secretário que Dória não conseguiu derrubar. Conheça a história.

Tudo começou quando o secretário denunciou fura-filas no Hospital das Clínicas, que é estadual

acessibilidade:
Edson Aparecido, secretário de Saúde da Prefeitura de São Paulo - Foto: Edson Hatakeyama.

É péssima a relação do governador João Doria (PSDB) com o secretário de Saúde da cidade de São Paulo, Edson Aparecido.

Eles se estranham desde quando Aparecido, cujo desempenho é muito elogiado, denunciou que estavam furando a fila de vacinação dentro do Hospital das Clínicas, que é estadual.

Enfurecido com denúncia, por ter sido feita publicamente, Doria pressionou o então prefeito Bruno Covas a demitir o secretário. Foi inútil. A infiormasçõ é da Colina Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

Covas cogitou substituir Aparecido na “virada” para sua segunda gestão, mas decidiu mantê-lo até porque o secretário realizava um bom trabalho.

Aparecido foi mantido também por esperteza: se algo desse errado no combate à pandemia, ele seria demitido para “proteger” o prefeito.

Com a dificuldade de entender que Aparecido não lhe deve obediência, e sim ao prefeito, Doria o detesta. O sentimento é enfaticamente recíproco.

Doria até suspeita que Aparecido torce e trabalha pela candidatura de Geraldo Alckmin, e não de Rodrigo Garcia, ao governo de São Paulo, em 2022.