Serão 36 anos de poder

Renan Filho é eleito e será senador ao lado do pai, na Alagoas da fome

Ex-governador fará dobradinha com Renan, após vencer afilhado de Arthur Lira, Davi Davino Filho (PP)

acessibilidade:
Senador Renan Calheiros e se herdeiro Renan Filho ocuparão duas das três vagas de Alagoas no Senado. Foto: Divulgação Facebook

O eleitor alagoano decidiu neste domingo (02) que o Brasil merece duplicar os efeitos da política praticada pelo ex-presidente do Senado, Renan Calheiros (MDB), em Brasília, ao eleger, com 56,92% dos votos, seu herdeiro político Renan Filho (MDB).

O novo senador eleito e seu velho pai, senador há mais de 27 anos, unirão forças em duas das três vagas de senador reservadas ao estado campeão da fome do Brasil. Ao conquistar oito anos para seu novo mandato, Renan Filho garante ao seu clã uma hegemonia de ao menos 36 anos de poder no Senado, onde seu pai chegou em 1995. Caso não sejam reeleitos, Renan deixa o mandato de senador em fevereiro de 2027, e Renan Filho em fevereiro de 2031.

“A população foi às urnas e provou que Alagoas será mais forte no Senado. Eu vou representar vocês em Brasília, lutar pelo nosso estado e defender o nosso povo. Contem comigo. Obrigado, Alagoas!”, escreveu Renan Filho, no Twitter.

O ex-governador que renunciou ao mandato em abril para poder disputar o Senado ocupará a vaga do ex-presidente da República, senador Fernando Collor (PTB), que não tinha chances de reeleição e optou por disputar o governo de Alagoas, ficando na terceira posição e fora do segundo turno.

Com apoio do ex-presidente Lula e popularidade de seus quase dois mandatos no governo de Alagoas, Renan Filho venceu com vantagem de 14,7 pontos de diferença para Davi Davino Filho (PP), que obteve 42,22% dos votos. Davi teve o apoio do presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP), e do presidente da República Jair Bolsonaro (PL).

O candidato a senador do PSOL, Mário Agra, obteve 0,86% dos votos. E houve 11,16% de votos nulos e 6,4% de votos brancos.

Governador-tampão Paulo Dantas e ex-governador Renan Filho em ação vetada pela Justiça Eleitoral em Alagoas.

Continuidade

Governada por Renan Filho (MDB) desde janeiro de 2015 até abril deste ano de 2022, Alagoas é o estado em que os casos de insegurança alimentar grave são mais frequentes, com 36,7% das famílias enfrentando algum nível de falta de alimentos e passando fome. Os dados são de um estudo da Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar (PENSSAN), divulgado em 14 de setembro deste ano eleitoral.

Eleito senador, a nova missão de Renan Filho, será reforçar, ao lado de Lula, a campanha do governador-tampão de Alagoas, Paulo Dantas (MDB), que passou ao 2º turno com 20 pontos de vantagem sobre seu adversário, o senador Rodrigo Cunha (União Brasil), que tem o apoio de Arthur Lira.

O ex-deputado estadual, Luiz Dantas (MDB), alertou aos eleitores alagoanos para não reelegerem o próprio filho, Paulo, alertando que o candidato não mereceria ser reeleito governador, porque seria facilmente manipulado por aliados e teria traído sua confiança. Ainda assim, Paulo Dantas ampliou seu desempenho e obteve 46,64% dos votos, contra 26,79% do segundo colocado, Rodrigo Cunha, em cujo guia eleitoral Luiz Dantas fez campanha contra seu filho governador.