Mais Lidas

Intolerância

PSDB-SP não se solidarizou a Eduardo Leite, após ataque homofóbico de deputado tucano paulista

Autor de post homofóbico, Frota foi levado ao PSDB por João Doria

acessibilidade:
Eduardo Leite, governador do Estado do Rio Grande do Sul - Foto: Gustavo Mansur/Palácio Piratini.

O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, contou esta manhã não haver recebido qualquer manifestação de solidariedade de correligionários do PSDB de São Paulo, quando recentemente foi alvo de post de conotação homofóbica do deputado tucano Alexandre Frota (SP).

Eduardo Leite lamentou que a esta altura ainda existam pessoas “que se encontram na pré-história, do ponto de vista civilizatório.”

Após romper com o presidente Jair Bolsonaro e deixar o PSL, Frota foi levado ao PSDB-SP pelo governador do Estado, João Doria, que disputará com Eduardo Leite as prévias indicarão o candidato do partido à presidência da República, em 2022.

Depois de filiado ao PSDB, Frota passou a integrar uma espécie de tropa de choque de Doria. Na quinta-feira 19, ele publicou em suas redes sociais post de tom homofóbico contra Eduardo Leite, que respondeu prontamente, também por meio das redes sociais.

Esta manhã, durante entrevista ao Jornal Gente, da Rádio Bandeirantes, o governador gaúcho afirmou não haver recebido qualquer manifestação de solidariedade do PSDB de São Paulo, incluído aí o governador paulista João Doria, mas, segundo ele, não faltou o apoio de tucanos e filiados de outros partidos em todo o País.

O governador Eduardo Leite foi entrevistado no Jornal Gente, da Rádio Bandeirantes, pelos jornalistas Thays Freitas, Pedro Campos e Cláudio Humberto.