Mais Lidas

Resposta truculenta

Policiais pedem que a imprensa não se intimide com ataque de Renan Filho

Presidente do Sindpol disse que quem mente é o governador, querendo esconder a realidade

acessibilidade:

Um dia depois de o governador de Alagoas, Renan Filho (MDB), atacar a honra do jornalista Arnaldo Ferreira, por este ser diretor de Jornalismo das empresas do senador Fernando Collor (PROS-AL), o presidente do Sindicato dos Policiais Civis de Alagoas (Sindpol), Ricardo Nazário, pediu nesta terça-feira (6) para que a imprensa não se intimide diante dos ataques do chefe do governo de Alagoas. O sindicalista disse que quem está mentindo é o governador Renan Filho, que não quer mostrar a verdade para a sociedade.

Fonte de denúncias veiculadas na imprensa contra o sucateamento de delegacias e desvalorização de servidores da Polícia Civil, o sindicalista garantiu que o Sindpol seguirá denunciando irregularidades do governo, durante entrevista ao programa Ministério do Povo, da 98.3 FM. E ainda afirmou que muitos crimes em Alagoas ficam engavetados, sem resolução, porque não possuem repercussão e interesse para o marketing para o governo.

“O Sindpol vai continuar denunciando a realidade da Segurança Pública. O ataque ao jornalista não intimida o Sindpol e espero que as mídias não se intimidem. Nós estamos querendo um estado seguro de verdade. Os crimes de homicídios ocorridos em Alagoas só são esclarecidos porque fazem parte de uma estratégia de marketing do Governo do Estado. Crimes de feminicídio, estupro e outros que não possuem repercussão estão abarrotados nas delegacias. Mais de dez mil inquéritos parados. Quem está mentindo é o governador Renan Filho, que não quer mostrar a verdade para a sociedade. Ele [Renan Filho] está fazendo marketing para mostrar para os demais estados”, afirmou Ricardo Nazário.

O presidente do Sindicato dos Jornalistas de Alagoas (Sindjornal), Izaías Barbosa, declarou apoio ao jornalista Arnaldo Ferreira e à liberdade de imprensa. “O jornalista tem liberdade de perguntar e o governador de responder ou não. Que saia sem responder nada. A briga política, ele trate com o político, com o dono da empresa, mas não com o trabalhador. Ele foi infeliz ao tratar o Arnaldo daquele jeito e o jornalista merece um pedido oficial de desculpas. Porque ele fez uma agressão pública e o pedido também deve ser público”, disse o presidente do Sindjornal.

Ataque à imprensa

Ao dar oportunidade ao governador para responder sobre denúncias do Sindpol, sobre o sucateamento de 141 delegacias, 10 mil inquéritos sem solução e falhas em obras milionárias das CISPs, o jornalista Arnaldo Ferreira foi recebido com um ataque contra sua honra. A reação de Renan Filho tentava atingir o senador Fernando Collor e antecipar a disputa pela vaga do ex-presidente em 2022, no Senado.

Em vez de responder sobre os problemas questionados, o governador acusou o entrevistador de usar “esporas na barriga e rédeas na cabeça”, colocadas pelo senador. Após o ataque, Arnaldo Ferreira disse ao Diário do Poder que o governador voltou a atacá-lo por telefone. E que, por segurança, mudará sua rotina para proteger sua família.

Arnaldo Ferreira tem 40 anos de carreira, diversos prêmios de Jornalismo e serviços prestados à sociedade através de diversos veículos pelo Brasil, a exemplo de O Globo, Veja, IstoÉ, Band, SBT, TV Globo, entre outros.

A assessoria do governador Renan Filho não respondeu às perguntas enviadas ontem pelo Diário do Poder, sobre o caso. (Com informações da Gazetaweb)