Mais Lidas

Intenção é antiga

PM reavalia postos de segurança e definirá quais serão mantidos

Abandonados e destruídos, postos de segurança têm reavaliação

acessibilidade:

Os postos de segurança comunitária têm passado por reavaliação da Polícia Militar do DF, segundo informações da Secretaria de Segurança. Abandonadas, as estruturas vazias sofrem com o descaso do governo e com a depredação por vândalos. Segundo a pasta, todas as 131 unidades serão reavaliadas e a PM vai definir quais serão mantidas, quais serão desativadas e quais serão cedidas a outros órgãos públicos para atender a projetos locais.

A intenção da PMDF com a desativação é manter os policiais em movimento dentro das quadras, seja a pé, em viaturas ou motocicletas. Apesar de promover sensação de segurança à população que vive ou circula próximo aos postos, a iniciativa foi muito criticada por “engessar” os policiais, já que não podiam deixar o local.

A pasta não informou, no entanto, qual o prazo para finalizar o trabalho de reavaliação. Enquanto isso, os postos continuam à mercê de delinquentes.

Vandalismo

Os 131 postos foram criados em 2008. No total, 29 deles foram depredados ou incendiados, cinco somente este ano. O último caso ocorreu na madrugada desta segunda-feira (13), na quadra 3/4 da Vila Buritis, em Planaltina. O caso é investigado pela 31ª Delegacia de Polícia.

Ideia antiga

Há um ano, a PM havia anunciado a desativação das unidades. Em 11 de junho do ano passado, o coronel Marco Antônio Nunes explicou, durante reunião na Câmara dos Deputados, que era necessária “mobilidade para atuar preventivamente”. Para o pleno funcionamento das estruturas seriam necessários mais de nove mil policiais, segundo estimativa do coronel.

Algumas unidades são consideradas estratégicas pela PM e seriam mantidas, como na Estrutural. O programa previa inicialmente a implantação de 300 postos, mas 131 foram criados, ao custo de R$ 18 milhões.