Mais Lidas

Neonazista nas redes

PF deflagra a Operação Rosa Branca contra crimes raciais e neonazismo

Mandado de busca foi cumprido na casa de investigado por divulgar nazismo

acessibilidade:
Sede da Policia Federal em Brasilia. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

A Polícia Federal deflagrou nesta segunda-feira (2) a Operação Rosa Branca, que visa reprimir a prática do crime de discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional, bem como a veiculação de símbolos que utilizem a cruz suástica ou gamada para fins da divulgação do nazismo.

A investigação teve início após documentos extraídos do banco de dados de uma ONG revelarem que determinado perfil, mantido junto a uma rede social, em diversos momentos, fez comentários de cunho discriminatório contra judeus, católicos, nordestinos, negros e homossexuais.

Além de ofensas e discriminação, o investigado também exibia a cruz suástica e declarava ser nazista, disseminando conteúdos relacionados a ódio contra homossexuais, racismo, antissemitismo, bem como a idolatria ao nazismo e fascismo com a intenção de incitar a violência contra determinados grupos de pessoas.

Após a realização de diligências pela PF, foi possível identificar o indivíduo responsável pelas postagens e hoje foi dado cumprimento, em sua residência, a mandado de busca e apreensão expedido pela 2ª Vara Federal de São José do Rio Preto (SP).

Durante o cumprimento do mandado, foram apreendidos um computador e um celular, além de desenhos alusivos ao nazismo e à suástica, máscaras tubulares e, ainda, identificados mais dois perfis de rede social, reafirmando a conduta criminosa do investigado. Todo material passará por perícia e análise da Polícia Federal.

O indivíduo responderá pelo crime que está previsto no artigo 20, §§ 1º e 2º, da Lei nº 7.716/1989, cuja pena é de reclusão de 2 a 5 anos e multa.

A Operação foi denominada Rosa Branca em alusão e homenagem ao movimento antinazista que fez história na Alemanha. (Com informações da Comunicação Social PF em São José do Rio Preto)