Mais Lidas

Em Roma

Papa Francisco é operado de estreitamento do intestino e passa bem

Francisco sofre de estenose diverticular sintomática do cólon

acessibilidade:
Papa Francisco. Foto: Gabriel Andrés Trujillo Escobedo/Reprodução

O papa Francisco, de 984 anos, foi internado no hospital Gemelli de Roma neste domingo (4) para uma cirurgia intestinal programada, disse o Vaticano. É a primeira vez dele no hospital desde sua eleição em 2013.

A cirurgia foi bem-sucedida, segundo o boletim médico divulgado, e passa bem.

O boletim divulgado pelo Vaticano afirma que que o “Santo Padre reagiu bem à operação realizada sobre anestesia geral”.

A operação, que já estava agendada, foi realizada para reparar um estreitamento no cólon (estenose), que dificulta a passagem das fezes.

O papa parecia estar bem de saúde algumas horas antes, quando se dirigiu a milhares de pessoas na Praça de São Pedro para sua bênção de domingo e anunciou uma viagem à Eslováquia e a Budapeste para setembro.

O extenso hospital e escola de medicina Gemelli – administrado por católicos e localizado na parte norte de Roma – tradicionalmente trata papas, e uma parte de seu décimo andar está permanentemente reservada para eles.

Francisco sofre de estenose diverticular sintomática do cólon, uma condição em que bolsas em forma de saco se projetam da camada muscular do cólon, fazendo com que se torne estreito. Além de causar dor, a condição pode causar distensão abdominal, inflamação e dificuldade para evacuar.

Francisco às vezes fica sem fôlego porque uma parte de um de seus pulmões foi removida após uma doença quando ele era jovem e morava na Argentina, sua terra natal.

Ele também sofre de ciática, dor que irradia da parte inferior das costas, ao longo do nervo ciático, até as pernas. A condição, para a qual recebe fisioterapia regular, obrigou-o a faltar a vários eventos neste ano e já o levou a andar com dificuldade.

No ano passado, um forte resfriado o impediu de participar de um retiro quaresmal de uma semana com auxiliares seniores ao sul de Roma.

Em 2014, um ano depois de ser eleito Papa, Francisco foi forçado a cancelar vários compromissos por causa do que se acreditava ser uma doença de estômago.