'Milícias digitais'

Moraes prorroga inquérito que há 3 anos mira Bolsonaro

acessibilidade:
Sede do STF em Brasília

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF) prorrogou, mais uma vez, inquérito que mira o ex-presidente Jair Bolsonaro e ficou conhecido como “inquérito das milícias digitais”.

O inquérito foi aberto há três anos, em julho de 2021, mirando suposto esquema de Bolsonaro para atacar adversários políticos e instituições nas redes sociais.

Com o passar do tempo, outras frentes acabaram entrando no inquérito, como casos do 8 de janeiro de 2023, quando houve a quebradeira em Brasília, fraudes em cartões de vacinação, venda de presentes no exterior e tentativa de golpe de estado.

Após criticar a atuação de Moraes, o empresário Elon Musk, que acusa o ministro de censura, também foi incluído no processo.

O pedido de prorrogação partiu da Polícia Federal, que alegou precisar de mais tempo para concluir os trabalhos. Moraes atendeu a solicitação da PF e prorrogou o inquérito por mais 180 dias.

Reportar Erro