Por investimentos e empregos

Zema ataca ‘manicômio tributário’, com dívida de R$ 150 bi em Minas

Governador mineiro defende Reforma Tributária, para facilitar a vida de quem trabalha

acessibilidade:
Governador de Minas Gerais Romeu Zema (Novo).

Governador que administra o estado de Minas Gerais com uma dívida de mais de R$ 150 bilhões com a União, Romeu Zema (Novo) defendeu nesta terça-feira (21) a necessidade de se avançar com a Reforma Tributária no Brasil, contra o que chamou de “manicômio tributário”, para facilitar a vida de quem trabalha.

“Nosso esforço deve ser pra atrair investimentos e gerar empregos, e não ficar perdendo tempo com as regras mais complexas do mundo. Precisamos acabar com esse manicômio tributário no Brasil pra facilitar a vida de quem trabalha”, escreveu Zema, no Twitter.

Romeu Zema faz parte do grupo de sete governadores do Sul e Sudeste que divulgaram, no último dia 4, uma carta em que defenderam a Reforma Tributária, revisão da dívida de R$ 630 bilhões destes estados com a União e ampliação do debate pelo do Pacto Federativo.

Os integrantes do Consórcio de Integração Sul e Sudeste (Cosud) criticam que passaram a ter as dívidas corrigidas pelo IPCA mais 4% ou Selic, o que for menor. “Hoje, os Estados do Sul e do Sudeste respondem por 93% da dívida pública com a União, representando cerca de R$ 630 bilhões e, em alguns casos, sua dinâmica se mostra insustentável”, disse a carta divulgada no início do mês.

Reportar Erro