Prefeitos denunciam

Nem metade dos recursos anunciados chegaram ao RS

Eduardo Leite (PSDB) vê falta de decisão do governo em ajudar o Estado

acessibilidade:
Deputado Marcel Van Hattem (NOVO-RS), governador Eduardo Leite (PSDB-RS) e prefeitos do Rio Grande do Sul. (Foto: Deborah Sena)

Mais de 300 prefeitos do Rio Grande do Sul lotaram o salão verde da Câmara dos Deputados para reivindicar o pagamento integral dos recursos anunciados pelo governo federal ao Estado, que atravessa fase de recuperação após catástrofe climática.

Os prefeitos se deslocaram até Brasília em condição improvisada, já que o Rio Grande do Sul segue sem operação em seu aeroporto. Após a concentração na Câmara dos Deputados, a comitiva de gestores, liderada pelo deputado Marcel Van Hattem (Novo-RS), e o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, seguiram ao Palácio do Planalto em ato simbólico de protesto, sem agenda marcada com o presidente da República, Luís Inácio Lula da Silva.

A principal queixa do movimento que se organizou, com o apoio do segundo vice-presidente da Câmara, Sóstenes Cavalcante (PL-RJ), é que o percentual de recursos pagos aos municípios não representa nem a metade do que foi prometido. “Os munícipios gaúchos estão a beira de um colapso financeiro.  Para os municípios, dos R$92 bilhões anunciados, somente R$680 milhões entraram no nosso caixa”, informou o presidente da Federação do Municípios do Rio Grande do Sul, Marcelo Cabral.

O governado Eduardo Leite (PSDB) falou em solidariedade tributária e disse que o governo mostrou disposição em dialogar, mas ‘faltou decisão’ em viabilizar a chegada dos recursos. Leite subiu o tom e acrescentou que o estado gaúcho sente ‘angústia’ com a ausência de respostas sobre a destinação dos recursos anunciados. “Já foram feitos vários anúncios, mas é importante demarcar que está muito distante do suficiente [para amparar o estado] e tem componentes de burocracia para acessar o recurso, que acabam gerando dificuldades”, completou.