CPAC

Bolsonaro quer ser sabatinado ao vivo pela imprensa

Ex-presidente ignorou indiciamento da PF durante discurso

acessibilidade:
O ex-presidente do Brasil, Jair Bolsonaro. (Foto: extração youtube)

O ex-presidente da República, Jair Bolsonaro,  fez a primeira participação na Conferência de Ação Política Conservadora (CPAC), neste sábado (6),em Balneário Camboriú (SC) e fez um desafio à imprensa brasileira. “A imprensa que me critica, a grande imprensa, mais uma vez estou à disposição de vocês, para duas horas ao vivo ser sabatinado sobre qualquer coisa”, disse, sem citar diretamente o caso do indiciamento da Polícia Federal, pelo uso de joias sauditas.

Durante o uso da palavra, Bolsonaro afirmou ainda que ‘não tem ambição pelo poder’ e, sim, ‘obsessão pelo Brasil’.

E completou: “Somos um país que tem tudo para ser destaque no mundo. Falta pouco, pouquíssima coisa, e tenho certeza que nós atingiremos juntos a esse objetivo”, acrescentou.

Não faltou durante o uso da palavra do líder da direita no Brasil críticas ao PT, que segundo ele é o ‘partido trambique’. “Se acham que vão me desgastar, as mídias sociais nos deram liberdade, por isso querem me censurar”, afirmou.

Bolsonaro ainda fez projeção sobre o futuro do Brasil: “Juntos, podemos redirecionar o destino desta nação. Podemos, não. Nós redirecionaremos o futuro desta nação. Somos um país que tem tudo para ser destaque do mundo. Falta pouquíssima coisa. Tenho certeza que nós atingiremos juntos esse objetivo. Não tenho ambição pelo poder. Eu tenho uma obsessão pelo nosso Brasil”, declarou.

A CPAC é promovida pelo Instituto Conservador Liberal, liderado no Brasil pelo deputado Eduardo Bolsonaro (PL-SP). Neste domingo, o presidente da Argentina, Javier Milei, fará um discurso no evento. Está previsto que Milei chegue a Balneário Camboriú na noite de sábado. Durante sua visita ao Brasil, ele se reunirá com Jair Bolsonaro, mas não terá encontros com Lula.