Sem preservação

Liliane Roriz aperta secretário magela sobre aberrações do PPCUB

Distrital aperta secretário de habitação sobre incoerências no PPCUB

acessibilidade:

A presidente da Comissão de Cultura da Câmara Legislativa, Liliane Roriz (PRTB), atacou o secretário de Habitação do GDF, Geraldo Magela (PT), após declarações que serviriam para justificar a aprovação relâmpago do Plano de Preservação do Conjunto Urbanístico de Brasília (PPCUB). A matéria tramita em regime de urgência no legislativo local e tem levantado polêmicas, principalmente entre especialistas e distritais, sobre as mudanças que poderá causar no plano original de Lúcio Costa.

Crítica ferrenha da proposta, Liliane rechaçou o posicionamento do secretário, quando ele afirmou que o projeto atende às recomendações da Unesco, órgão responsável pelo título conferido a Brasília de Patrimônio da Humanidade, que exige um plano de preservação para a cidade. ?Da língua portuguesa, preservar é a ação de se conservar o que já existe, de defender, de resguardar. O plano de preservação já existe, tanto que, após 53 anos de fundação, não há nenhuma construção em Brasília que agrida o tombamento. E em quê a aprovação do PPCUB vai contribuir para preservar nossa cidade? Em nada?, rebateu.

A distrital questiona também o fato de o secretário sustentar que o PPCUB seja uma lei clara, que possa ser lida e entendida por qualquer pessoa. ?As leis já existem e garantiram a preservação do projeto original até hoje. O PPCUB, hoje, é questionado até mesmo pelos grandes especialistas da área, por conter textos obscuros e que dá margens para várias interpretações?, defende.

Para Liliane, ao contrário do que Magela afirma, o texto enviado pelo governo local para o legislativo não protege a cidade da especulação imobiliária. ?As principais alterações propostas no PPCUB criam lotes onde há hoje espaços públicos, aumentam a altura e potencial construtivo de lotes pertencentes às grandes construtoras, mudam a destinação e valorizam terrenos pertencentes a essas empresas e transferem à iniciativa privada lotes de uso público. Isso é combater a especulação imobiliária??, questiona a parlamentar.

A deputada Liliane estranha, também, o fato do representante do governo defender tanto a mudança de gabarito do Setor Hoteleiro ao alegar que os hotéis menores sofrem uma resistência dos proprietários dos grandes hotéis. ?Os lotes baixos que o PPCUB quer valorizar através da elevação da sua altura pertencem aos mesmos proprietários dos lotes dos grandes de hotéis, quais sejam, os grupos Sarkis, Rodopoulos, Bittar, Naoum, Mokdissi e Paulo Octávio?, ataca.