Mais Lidas

Era o que faltava

Juíza federal de Curitiba nega pedido de Roger Waters para visitar Lula

Para a magistrada a visitação em ambiente carcerário não pode ser feita de forma improvisada

acessibilidade:
O cantor desejava conhecer Lula na carceragem da Polícia Federal neste sábado Foto: Kate Izor/ Facebook

A Juíza Carolina Lebbos, da 12 Vara Federal de Curitiba, não atendeu ao pedido do cantor, ex-líder do Pink Floyd, Roger Waters, que desejava visitar o ex-presidente Lula, que está preso desde 7 de abril de na sede da Polícia Federal em Curitiba, pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, no caso do triplex do Guarujá.

Alegação da magistrada é de que a visitação em ambiente carcerário, pela natureza que lhe é inerente, “não se faz de forma improvisada, tampouco se submete exclusivamente à comodidade do executado e/ou visitante. Exige programação, fiscalização e controle, a fim de preservar-se a segurança e as atividades do local de custódia”.

Waters desejava conhecer o petista no sábado (27),  já que no domingo o cantor não estará mais no Brasil. Na petição, os advogados alegaram que o Roger Waters é uma personalidade de reputação mundial na defesa dos direitos humanos, e chegaram a citar as “Regras de Mnadela” um tratado adotado pela Organização das Nações Unidas (ONU) que garante a todo preso o contato com o mundo exterior.

Entretanto, a juíza não aceitou os argumentos e não abriu a exceção, já que as visitas para o ex-presidente são permitidas apenas nas quintas-feiras.