Mais Lidas

Obras de mobilidade

GDF quer R$ 4,8 bilhões do PAC para obras de mobilidade

De olho nos R$ 50 bilhões anunciados por Dilma, Agnelo apresenta projetos

acessibilidade:

O governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz (PT), e seu chefe da Casa Civil, Swedenberger Barbosa, foram ao Ministério do Planejamento atrás de um naco da bolada de R$ 50 bilhões do PAC que a presidente Dilma Rousseff anunciou estarem disponíveis. Eles apresentaram seis novos projetos para a mobilidade na região, que somam R$ 4,8 bilhões.

Recebidos pelo secretário do PAC 2, Maurício Muniz, os Agnelo e  Swedenberger saíram animados por terem descoberto que o BRT (sigla para Bus Rapid Transit), que liga a parte Sul do DF ao Plano Piloto, com inauguração prevista para dezembro, será o primeiro projeto estruturante do programa de aceleração entregue em todo o Brasil. Aqui, são investidos R$ 2,6 bilhões em obras de mobilidade.

Dos projetos, dois são BRTs: a implantação do BRT Expresso DF ? Eixo Norte que liga Planaltina, Sobradinho e Plano Piloto; e a implantação BRT Expresso DF ? Eixo Sudoeste que envolve as regiões administrativas de Recanto das Emas, Riacho Fundo I e II, Núcleo Bandeirante, Candangolândia e Águas Claras.

Também foram apresentados: a expansão do metrô até a Asa Norte, com 7,5 Km de trilhos e sete estações; a conclusão da linha do VLT W3 Sul e W3 Norte; compra de material rodante, como trens para o metrô e VLT; e a expansão do BRT Expresso DF ? Eixo Sul para a BR-040, beneficiando cidades do entorno como Valparaíso, Ocidental e Luziânia.

Além do DF, outros estados estão de olho no recurso. Até o momento, o governo já recebeu demandas que somam R$ 56, 8 bilhões. Terminadas as rodadas de reuniões, as propostas serão avaliadas e destinadas.

 

Chefe da Casa Civil, Swedenberger Barbosa, governador Agnelo Queiroz e o secretário do PAC 2, Maurício Muniz

Chefe da Casa Civil, Swedenberger Barbosa, governador Agnelo Queiroz e o secretário do PAC 2, Maurício Muniz

Vídeos Relacionados