Podcast

Senador Ciro Nogueira garante que PP é de oposição

Ele deixou claro posicionamento em entrevista ao podcast do 'Diário do Poder'

acessibilidade:
O senador Ciro Nogueira (PI), presidente do PP, é entusiasta da ideia e a mencionou por ocasião da gravação de entrevista ao podcast do Diário do Poder. (Foto: Diário do Poder).

O senador Ciro Nogueira (PP-PI) afirmou durante o segundo episódio do podcast Diário do Poder, nesta quinta-feira (23), que o partido Progressista é de oposição ao governo Lula.

\“Pelo Progressista quem fala sou eu que acabei de ser reeleito por mais 3 anos. E você vê que toda vez que eu falo ninguém contesta. Então posso garantir que o Progressista é um partido de oposição”. Ciro Nogueira ainda alega que o PP não tem identificação com o governo.

Com a declaração de posicionamento, Nogueira também criticou o 3º governo do presidente Lula. Segundo o senador, o presidente está “ultrapassado” e que o maior ressentimento e dor do petista é não ser mais “o homem mais amado do país”. Nogueira explica que o presidente não está mais com o “pique” dos dois últimos anos de governo, de andar na rua e estar no meio do povo. “Hoje o Lula é um homem frustrado”.

O senador afirma que grande parte da frustração do presidente é pela mediações sem sucesso das guerras contemporâneas, Ucrânia x Rússia e Israel x Hamas. “A primeira meta do Lula era ter o prêmio nobel da paz. O Lula foi naquela reunião desastrosa com o Zelensky e optou na Europa pelo invasor sem nem querer entrar no mérito de quem invadiu e indo contra o consenso mundial, aí voltou para o Brasil e quis ser o homem do meio ambiente, depois resolveu ser o líder da América latina e recebe o ditador Nicolás Maduro, onde todos os grandes líderes inclusive os de esquerda tiveram aquela descompostura”. 

Ciro complementa que a pior situação de todas foi a com a guerra em Gaza, quando o presidente optou em apoiar o grupo terrorista Hamas, segundo o senador. “O presidente perdeu a capacidade de liderar […] é inacreditável essas opções e olha a vergonha que isso fez para a diplomacia do nosso país”, ressaltou. 

Reportar Erro