Plumas

Produção de algodão bate recorde em 2023 mas demanda não reage

A demanda de algodão não acompanhou o aumento na oferta por causa de condições econômicas adversas nos cenários mundial e brasieliro

acessibilidade:
A produção brasileira de algodão em pluma atingiu o recorde na temporada 2022/2023, resultado dos crescimentos da área e da produtividade. (Foto: Barroso, Paulo Augusto Vianna/Embrapa).

A produção brasileira de algodão em pluma atingiu o recorde na temporada 2022/2023, resultado dos crescimentos da área e da produtividade. Em termos mundiais, a disponibilidade de pluma avançou. 

Contudo, a demanda de algodão não acompanhou o aumento na oferta por causa de condições econômicas adversas nos cenários mundial e brasieliro que geram receio entre agentes e limitaram as vendas de manufaturados. 

A oferta acima da demanda resultou em elevação dos estoques e em queda nos preços externos e internos do algodão. No Brasil, um levantamento da Cepea mostra que de janeiro a maio mesmo em entressafra, as cotações cederam expressivamente, pressionadas por expectativas de boa safra e pela demanda sem reação. 

Com maior excedente, as expectativas recaíram sobre as exportações, que teriam que registrar bom desempenho na safra 2022/23, mas as vendas antecipadas estavam, naqueles primeiros meses de 2023, relativamente lentas, devido aos preços considerados pouco atrativos por vendedores. 

Já entre maio e junho, as médias mensais até se sustentaram, mas, em julho, a pluma foi negociada no menor patamar do ano. Nos meses seguintes, as médias mensais oscilaram dentro de um intervalo mais estreito, tendo como suporte às exportações,que ajudaram a reduzir os excedentes internos.

Reportar Erro