Profusão de indícios

Devagar, só agora PGR pede ao STF inquérito contra Bivar

Gravações apresentadas por Rueda documentam as ameaças de Bivar

acessibilidade:
O ministro do STF, Nunes Marques, atendendo a um pedido da PGR, autorizou a abertura de inquérito para investigar o deputado federal e ex-presidente do União Brasil, Luciano Bivar (PE) - Foto: Diário do Poder.

A Procuradoria-Geral da República (PGR) pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) a abertura de inquérito para investigar o deputado federal e ex-presidente do União Brasil, Luciano Bivar (União-PE), por ameaça ao novo presidente da sigla, Antônio Rueda. 

R acontece quase 45 dfias depois de Rueda acusar Bivar de ameaçá-lo de morte e também à sua família, além de ser suspeito pelo incêndio criminoso na residência do sucessor na presidência do partido União Brasil.

O pedido está sob sigilo e será analisado pelo ministro Nunes Marques. E a PGR pediu ao STF que autorize depoimentos de testemunhas.

O caso chegou ao Supremo depois que Rueda fez uma representação criminal contra Bivar na Delegacia Especial de Crimes Cibernéticos da Polícia Civil do Distrito Federal. 

Como deputado, Bivar tem foro privilegiado e, por isso, a Polícia Civil do DF mandou a representação para o Supremo. 

A defesa de Rueda também pediu para investigar o deputado por envolvimento no incêndio que destruiu duas casas da família do novo presidente do partido, no litoral de Pernambuco. Desde que o caso veio à tona, Bivar tem negado as acusações. 

Os advogados afirmam que há uma “pluralidade de indícios” que ligam Luciano Bivar ao incêndio, “ainda que não se possa afirmar solenemente a autoria do deputado no caso”. Para a defesa, o episódio “revela a escalada da violência política”.

Reportar Erro