Segurança

Fugitivos estão a um raio de 15km, diz Lewandowski

Ministro ainda disse que 300 agentes de segurança foram mobilizados para capturar Deibson Cabral Nascimento e Rogério da Silva Mendonça

acessibilidade:
Ricardo Lewandowski, ministro da Justiça e Segurança Pública, - Foto: reprodução redes sociais.

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Ricardo Lewandowski, afirmou nesta quinta-feira (15) que os dois detentos que escaparam na quarta-feira (14), devem estar a 15 quilômetros do presídio de segurança máxima em Mossoró, Rio Grande do Norte.  

Além da declaração, o ministro ainda disse que 300 agentes de segurança foram mobilizados para capturar Deibson Cabral Nascimento e Rogério da Silva Mendonça. 

“Nós temos cerca de 100 agentes da PF, mais cerca de 100 da PRF e mais, aproximadamente, 100 agentes das forças policiais locais (militar e civil)”, explicou o ministro em coletiva de imprensa no Palácio da Justiça, detalhando que foram empregados 13 helicópteros para as buscas, além de drones. 

De acordo com o ministro, a área da fuga é uma zona de floresta, e as autoridades envolvidas no caso suspeitam que os fugitivos ainda estejam na região. 

“Nós não identificamos nenhum veículo que os tenham buscado quando deixaram o presídio. Também não temos nenhuma notícia de furto ou roubo de veículos na região. Portanto, imaginamos, são hipóteses, que eles ainda se encontram na região”, citou. 

Lewandowski informou que houve registro de um furto e roubo de comida e roupas em uma casa próxima, que pode ter relação com os detentos. 

Ainda nesta quinta-feira (15), o ministro anunciou medidas que foram tomadas, como:  

  • Determinou apuração presencial dos fatos e a tomada das ações cabíveis no âmbito administrativo; 
  • Deslocamento de uma equipe de peritos ao local para apurar responsabilidades e atuar na recaptura dos dois fugitivos, ação que já conta com o engajamento de mais de 300 agentes; 
  • Ordenou a mobilização das Forças Integradas de Combate ao Crime Organizado (Ficco), que congregam as polícias federais e estaduais nas ações de repressão da criminalidade organizada, para colaborarem com os esforços de localização e prisão dos foragidos; 
  • Registro dos nomes dos fugitivos no Sistema de Difusão Laranja da Interpol, inclusão no Sistema de Proteção de Fronteiras, para que sejam procurados pela comunidade policial internacional; 
  • Mobilização da Polícia Rodoviária Federal (PRF) para o monitoramento das rodovias sob sua jurisdição e dê suporte à recaptura dos presos; 
  • Revisão de todos os equipamentos e protocolos de segurança nas cinco penitenciárias federais. 

 

Reportar Erro