INPE

Desmatamento sobe 43% no Cerrado em 2023

Os dados representam o maior índice de desmatamento no bioma da série histórica

acessibilidade:
Foi a primeira vez em cinco anos que o Cerrado teve a área desmatada maior que na Amazônia. (Foto: Ibama).

O desmatamento no Cerrado brasileiro aumentou 43% em 2023, registrando um território perdido de 7.828 km², comparado com os 5.463 km² registrados em 2022.

Os dados foram divulgados pelo Instituto de Pesquisas Espaciais (Inpe), nesta sexta-feira (5), e foram obtidos pela plataforma Deter, que mapeia evidências de alteração da cobertura florestal da Amazônia e Cerrado.

Esse foi o maior índice de desmatamento da série histórica do levantamento do Deter, que começou em 2018-2019.

A maior perda de vegetação do bioma ficou concentrada na região conhecida como Matopiba, composta por Maranhão (1.765,1 km²), Bahia (1.727,8 km²), Tocantins (1.604,4 km²) e Piauí (824,5 km²).

Desmatamento na Amazônia:

Em contrapartida, os dados mostram que o desmatamento na Amazônia teve queda de 50% em 2023 na comparação com o ano anterior. No ano, o total registrado de desmatamento no bioma foi de 5.152 km²; em 2022 foi registrado um total de 10.278 km².

Entre os estados que foram recordistas em desmatamento na região, o Pará lidera o ranking com 1.903 km². Seguido por Mato Grosso (1.408 km²) e Amazonas (894 km²). Esses estados também são os líderes em desmatamento da série histórica (2015-2023).

A Amazônia Legal engloba a área de nove estados: Acre, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima, Tocantins e parte do Maranhão.

De acordo com o levantamento, essa foi a primeira vez em cinco anos que o Cerrado teve a área desmatada maior que na Amazônia.

Reportar Erro